Edição anterior (1537):
sexta-feira, 25 de janeiro de 2019
Ed. 1537:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1537): sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Ed.1537:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Novos deslizamentos de pedras foram registrados na localidade do Ingá, no distrito da Posse

Wellington Daniel, especial para o Diário

Na manhã desta quinta-feira (24), novos deslizamentos de pedras foram registrados no Ingá, no distrito da Posse. Na quarta-feira (23), o Departamento de Recursos Minerais do Estado do Rio de Janeiro (DRM-RJ) emitiu nota técnica onde afirma que a área é “suscetível a novas quedas e deslizamentos de rocha”.

Na nota, o órgão diz ainda que o acidente da última terça-feira (22) é “um processo natural inerente à evolução geomorfológica”. O DRM-RJ ainda recomenda a continuidade da interdição feita pela Defesa Civil do município.

A secretaria de Assistência Social já cadastrou 57 pessoas de 24 famílias e o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) da Posse para atendimento aos moradores. Outras equipes da Prefeitura também estão no local.

A Prefeitura informou que “já acionou o Ministério do Desenvolvimento Regional para que uma equipe auxilie no trabalho de avaliação dos danos. Somente após as análises mais aprofundadas será possível definir as medidas a serem adotadas. A previsão é de que os técnicos vistoriem a área na semana que vem.”

O deslizamento

Na terça-feira (22), por volta de 15h, pedras de até 50 toneladas rolaram de uma altura de 100 metros. Um morador denuncia que, desde o primeiro deslizamento, ainda em 2014, os residentes do Ingá estão em alerta por perceberem riscos de novos acidentes.

- Desde o primeiro deslizamento, os moradores avisam sobre o risco aos órgãos responsáveis, mas nada foi feito. O pessoal dali sempre ficava preocupado, principalmente quando chovia – relata o senhor que prefere não se identificar.

Ana Maria Rodrigues mora próxima ao local do acidente. Ela confirma as informações de que nada foi feito após o deslizamento de 2014. Conta também que acordou assustada na madrugada do dia 22.

- Na madrugada [de terça-feira], soltou a primeira pedra e eu comecei a gritar. À tarde, foi um estrondo muito forte, só via fumaça. É uma coisa que você não sabe o que fazer – conta.

A Prefeitura disse que o corpo técnico da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias permanece no local monitorando o maciço no Ingá, na Posse. Na manhã desta quinta-feira (24.01), foram registradas novas quedas de blocos rochosos, mas sem atingir nenhuma residência. A Defesa Civil orienta que os moradores da área interditada - cerca de 40 casas em um raio de 500 metros - permaneçam em locais seguros, já que a área permanece instável.



Edição anterior (1537):
sexta-feira, 25 de janeiro de 2019
Ed. 1537:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1537): sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Ed.1537:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior