Edição anterior (1516):
sexta-feira, 04 de janeiro de 2019
Ed. 1516:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1516): sexta-feira, 04 de janeiro de 2019

Ed.1516:

Compartilhe:

Voltar:


  Diário Comunidades

Ônibus quebrado causa transtornos para moradores do Meio da Serra

Natália Rodrigues  natalia.rodrigues@diariodepetropolis.com.br

 

O ano acabou, mas os problemas com os ônibus não. Na manhã de terça-feira (02), o veículo da empresa Petro Ita que faz a linha 453 – Meio da Serra via Santos Dumont, quebrou e precisou ser trocado, deixando de fazer o horário de 09h20.

Pode parecer pouco, mas para a vendedora Cristiane Ferreira os transtornos parecem estar longe do fim. Os passageiros relatam que os incidentes são constantes, ocorrem pelo menos de três a quatro vezes por semana, prejudicando principalmente estudantes e trabalhadores.

- Vamos para o ponto cedo para irmos sentados, esperamos por um ônibus que simplesmente não apareceu. Tinha outro veículo no ponto final, mas como era da viagem seguinte, o motorista não quis se adiantar, ficamos ali mais uns 20 minutos até chegar a hora de saída dele. Acho um absurdo o ônibus ficar parado durante todo aquele tempo e os passageiros perdendo compromissos – contou.

Cristiane explicou que tanto ela como os demais moradores estão preocupados com as condições dos veículos e a precariedade da estrada. O caminho é perigoso, com muitos penhascos e curvas sinuosas e esperam que a empresa tome providências.

- Estamos cansados de reclamar dos ônibus quebrando, parece que não tem surtido efeito. O jeito está sendo sairmos de casa um horário antes e ir para o ponto e torcer para ter um ônibus. Só acho que pelo valor da passagem que pagamos deveríamos ter um ônibus mais decente, quando quebra um veículo o seguinte vai muito lotado, tem vezes que temos que esperar para ir embora para casa umas duas viagens depois – relatou.

Empresa responde

Em nota, a empresa Petro Ita informou que não teve o horário de 9h20 porque o ônibus teve um problema mecânico e foi levado para a garagem. O carro substituto fez a viagem de 9h35, segundo o sistema de monitoramento via GPS da empresa.

Procurada pelo jornal, a prefeitura disse que a CPTrans realiza fiscalizações periódicas nas garagens das empresas e irá verificar os veículos da linha citada.  A falha mecânica gera multa para empresa no valor R$ 210, nos casos em que há demora de mais que uma viagem para substituição do coletivo.



Edição anterior (1516):
sexta-feira, 04 de janeiro de 2019
Ed. 1516:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1516): sexta-feira, 04 de janeiro de 2019

Ed.1516:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior