Edição anterior (1731):
quarta-feira, 07 de agosto de 2019
Ed. 1731:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1731): quarta-feira, 07 de agosto de 2019

Ed.1731:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Passagem de ônibus fica mais cara na próxima terça-feira

Tarifa municipal custará R$ 4,40, um reajuste de 4,7% 

A passagem dos ônibus municipais fica mais cara a partir da próxima terça-feira (13). A informação foi confirmada pela prefeitura, que negou o pedido das empresas de ônibus para reajustar a tarifa de ônibus em 8,3%, o que elevaria o preço da passagem para R$ 4,55. A determinação, que toma como base os estudos de técnicos da CPTrans sobre as planilhas de custo das operadoras de coletivo na cidade, é que o percentual seja de 4,7%. Na prática, a tarifa passa de R$ 4,20 para R$ 4,40 – R$ 0,15 a menos do que o pleiteado pelas empresas de transporte público. Neste ano, diferente do reajuste de 2018, não haverá desconto para usuários do RioCard.

Na análise da companhia foi verificada redução no custo da operação em cerca de R$ 100 mil, mas, apesar disso, houve redução de 6% na demanda de usuários pagantes.

Como a tarifa é feita com base na divisão dos custos operacionais pelo número de usuários pagantes, o número menor de pessoas utilizando o transporte público acarreta em valor superior na tarifa. Na prática, o aumento serve para garantir a continuidade do serviço, evitando que as empresas entrem em colapso, como já aconteceu em Petrópolis em anos anteriores.

- Nosso esforço, neste momento, é para focar em ações que reduzam ainda mais o custo da operação. Isso significa que medidas serão aplicadas nos próximos meses para que a cidade consiga, nos próximos anos, estagnar ou até reduzir o valor da tarifa - explica o diretor-presidente da CPTrans, Jairo Cunha, lembrando que a companhia já garantiu junto às empresas, a renovação de 10 novos veículos em 2019.

- Só no ano passado foram 32 ônibus zero quilômetro rodando na cidade e nossa intenção é cobrar que as empresas melhorem a qualidade na prestação do serviço - completa.

Nas ruas, os usuários do transporte público discutiram sobre o assunto ao longo desta terça-feira, quando a data do reajuste foi divulgada pela administração municipal. A diarista Anete da Costa, que mora no Alcobacinha, se mostrou revoltada com o novo valor.

- A passagem já era uma das mais caras do Estado, agora vai aumentar ainda mais? Não dá pra entender. A gente, que depende do transporte público e precisa trabalhar, que paga a conta no final, sem ver investimento nenhum no serviço - disse a diarista.

Na composição tarifária, o peso maior é dos vencimentos dos rodoviários, que impacta em cerca de 50% no valor da tarifa. Também entram no cálculo tarifário os reajustes combustíveis, material de rodagem, peças e acessórios, além de custos fixos como seguros, depreciação da frota e IPVA, por exemplo. A análise da CPTrans para estabelecer o custo da tarifa é feita com base na planilha Geipot da Empresa Brasileira de Planejamento de Transportes, consolidada e aplicada pelos municípios brasileiros.

O processo de solicitação de reajuste da tarifa passou por todos os trâmites burocráticos. No último dia 19, o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis (Setranspetro) apresentou sua planilha de custo ao Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (Comutran). Na última terça-feira (30) foi a vez da companhia apresentar o documento aos conselheiros. Na última sexta-feira (02.08), a prefeitura enviou à Câmara o comunicado sobre o reajuste da tarifa.

O Setranspetro informou que não há a possibilidade de conceder o desconto na tarifa dos passageiros que utilizam o cartão RioCard, visto que a tarifa se encontra defasada, principalmente, em razão da forte queda de demanda de passageiros pagantes que o sistema vem registrando ao longo dos meses. Apenas em 2018, a queda superou 6%.


O Sindicato reforça, ainda, aos clientes que o reajuste é o último recurso usado para garantir o equilíbrio financeiro e econômico do Sistema de Transporte, para permitir a continuidade da prestação dos serviços, e os investimentos em frota e outras tecnologias.

 



Edição anterior (1731):
quarta-feira, 07 de agosto de 2019
Ed. 1731:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1731): quarta-feira, 07 de agosto de 2019

Ed.1731:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior