Edição anterior (1646):
terça-feira, 14 de maio de 2019
Ed. 1646:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1646): terça-feira, 14 de maio de 2019

Ed.1646:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade
Petrópolis irá receber, na próxima semana, um dos maiores eventos de divulgação científica do mundo

Pint of Science une ciência e cerveja e acontece entre os dias 20 e 22 de maio

 

Pint, traduzido do inglês, significa "uma pitada", "um pouco". Popularmente, o termo foi relacionado à cerveja, sendo usado para descrever, em apenas uma palavra, aquele momento de descontração em que se consome a famosa bebida. Descontração aliada à informação é a fórmula do Pint of Science, que leva pesquisadores a bares e restaurantes, em um dos maiores eventos de divulgação científica do mundo, que ocorre em 24 países. Esse ano, chega pela primeira vez a Petrópolis, eleita a capital cervejeira do Rio de Janeiro.

Em 2019, o Pint of Science no Brasil se tornou o maior entre todos realizados no globo, com um total de 89 cidades brasileiras participantes. Para se ter uma noção do crescimento, em 2018 o evento ocorreu em 56 cidades e, em 2017, em 22. Ou seja, de 2017 a 2019 houve um crescimento de mais de 300%.

O Pint Petrópolis acontece entre os dias 20 e 22 de maio, entre 19h30 e 21h30, e conta com apoio das cervejarias Bohemia e Brewpoint, locais que vão sediar as conversas.  

A cidade irá receber o evento graças à captação da professora universitária e doutora em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), Tamara Campos, que leciona nos cursos de Jornalismo e Publicidade da Universidade Estácio de Sá, em Petrópolis.  

“Conheci o festival, em 2018, numa conversa em Juiz de Fora sobre Fake News. Na ocasião, lamentei por um momento não ocorrer em Petrópolis. “Foi aí que decidi que, em vez de lamentar, deveria trazê-lo para a nossa cidade, já que temos cerca de 300 mil habitantes e um público heterogêneo, além de uma forte relação com a cerveja”, explicou Tamara Campos, a coordenadora do Pint of Science Petrópolis.

Para participar dos encontros, não é necessário fazer inscrição. Basta escolher na programação os assuntos mais interessantes e ir ao estabelecimento que sediará estes temas. Não há cobrança de ingresso e não são entregues certificados após o término. A programação inclui assuntos como ansiedade, sustentabilidade e capital, internet das coisas e cidades inteligentes, big data, a descoberta de novos planetas e overtraining e doenças da estética, com cientistas de importantes universidades participando.

“O mais importante é desmistificar a ciência e o cientista enquanto distantes da sociedade, gerando informação de qualidade para os cidadãos e demonstrando a centralidade da ciência em nosso cotidiano de forma leve, pois a ciência pode ser divertida”, comentou Tamara.           

Um breve histórico do evento

A ideia do Pint surgiu após dois pesquisadores do Imperial College London, Michael Motskin e Praveen Paul, terem organizado um evento chamado “Encontro com Pesquisadores”, em 2012. Na ocasião, pessoas com Alzheimer, Parkinson, doenças neuromusculares e esclerose múltipla foram convidadas para conhecer os laboratórios dos cientistas e ver as pesquisas realizadas por eles de perto. O encontro foi tão positivo que os pesquisadores compreenderam que se as pessoas podiam ir aos laboratórios, os cientistas também deveriam ir a locais mais populares. No ano seguinte, surgiu o Pint of Science.

A primeira edição, em maio de 2013, tinha a proposta de levar pesquisadores de universidades e institutos de pesquisa para conversar diretamente com as pessoas, de forma descontraída e mais informal. Os encontros acontecem de forma simultânea, em mais de um local, a fim de criar opções para o público, e a cerveja possui papel importante no festival.

Desde então, o evento tomou proporção mundial, e chegou ao Brasil em 2015, na cidade paulista de São Carlos. No ano seguinte, Belo Horizonte (MG), São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Dourados (MS) também tiveram o encontro.

Atualmente, o Pint do Brasil é o maior do mundo, e em 2019 acontece em 89 cidades brasileiras, além de outros 23 países. O segundo país com mais municípios participantes é a Espanha, com 72 locais.

A organização do evento acontece em três níveis: local, regional e nacional. Os coordenadores locais identificam e selecionam pesquisadores e estabelecimentos interessados em participar, e montam os três dias de programação em parceria com as coordenações regionais. A parte nacional realiza o contato com idealizadores do evento na Europa e com os patrocinadores brasileiros. Todo o trabalho é feito voluntariamente.

Na Europa, participam Inglaterra, França, Espanha, Bélgica, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Holanda, Portugal, Rússia, Suécia, Suíça. Na Ásia, Austrália, Nova Zelândia, Cingapura e Tailândia, enquanto, nas Américas, Brasil, Canadá, Costa Rica, México, Paraguai e Estados Unidos. No continente africano, o evento só acontece na África do Sul.



Edição anterior (1646):
terça-feira, 14 de maio de 2019
Ed. 1646:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1646): terça-feira, 14 de maio de 2019

Ed.1646:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior