Edição anterior (1742):
domingo, 18 de agosto de 2019
Ed. 1742:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1742): domingo, 18 de agosto de 2019

Ed.1742:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

 

Jorge Tavares, Micheli Correia

Petrópolis tem mais de 3 mil estagiários, segundo CIEE

No Dia do Estagiário, Diário conversa com supervisor do CIEE em Petrópolis

Wellington Daniel

Hoje (18) é comemorado o Dia do Estagiário. Conforme mostrado anteriormente pelo Diário, na edição do dia 27 de julho, o número de estagiários teve um crescimento na cidade de 8,5%. Foram 3.097 em 2018 e 3.361 em 2019. O CIEE aponta que a maior parte também é constituída de mulheres (35%). A média é de 11 meses de duração e 3,77 estagiários por empresa.

Os cinco cursos que mais encaminham a estágio: administração, pedagogia, direito, Ensino Médio e tecnologia da informação. Pouco parecido com os primeiros colocados no ranking nacional, que foram: direito, pedagogia, administração, ciências contábeis e engenharia civil.

Para o supervisor do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), Jorge Tavares, apesar de ser uma cidade com boa contratação, ainda há um déficit de vagas na cidade.

- Petrópolis é uma das cidades que mais contrata estagiário. Hoje dentro da região do CIEE, Petrópolis só perde para a capital, Niterói e Macaé no estado do Rio de Janeiro. Hoje ainda é muita gente para pouca vaga. Temos muitos jovens precisando entrar no mercado e mostrar o seu valor. Eu acho que ainda é muito pouco o número de vagas, apesar de fazermos um esforço muito grande. Temos profissões que são fáceis de vagas, como administração, pedagogia e direito, mas há outros cursos que é mais difícil – afirmou.

Para Jorge Tavares, há benefícios para o jovem e para a empresa. O supervisor também cita que pesquisas mostram que 75% dos jovens são aproveitados na empresa após o período de estágio.

- É uma oportunidade de aplicar tudo aquilo que ele vem aprendendo na universidade numa empresa que vai dar a devida atenção na formação deste jovem. Além disso, há a oportunidade de além do estágio, ter a oportunidade do primeiro emprego. Para as empresas, os principais benefícios: treinamento, formação da sua mão de obra – disse.

A assistente administrativa do CIEE, Micheli Correia, foi estagiária por um tempo. Para ela, a experiência possibilitou crescimento profissional.

- Minha experiência foi excelente. Foi minha primeira oportunidade. Então entrei crua, sem saber me expressar e me comunicar e aqui foi uma oportunidade para aprender e crescer. Após o período de estágio, tive a oportunidade de ser efetivada como funcionária – explicou.

Cuidados

Há a necessidade de as empresas também cumprirem algumas regras. Na Lei Federal 11.788/2008, é apontado que o estabelecimento deve ter um funcionário responsável pelo treinamento do estagiário, enviar relatórios semestrais a instituição de ensino sobre o estágio, possuir instalações que permitam ao estagiário o desenvolvimento do trabalho, dentre outras obrigações. Jorge também lembra sobre a questão da carga horária.

- Temos uma preocupação muito grande. Primeiro, a carga horária deve ser respeitada. Deixamos bem claro quando o contrato é retirado aqui. Também temos um canal aberto com ele durante todo o período de estágio, onde a qualquer momento ele nos deixar ciente sobre o que está acontecendo. E aí, tentamos adequar aquela vaga de estágio para ele. As atividades, também precisam ser compatíveis com o curso – explicou.

 



Edição anterior (1742):
domingo, 18 de agosto de 2019
Ed. 1742:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1742): domingo, 18 de agosto de 2019

Ed.1742:

Compartilhe:

Voltar: