Edição anterior (1715):
segunda-feira, 22 de julho de 2019
Ed. 1715:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1715): segunda-feira, 22 de julho de 2019

Ed.1715:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Petrópolis tem mudado seu perfil do turismo nos últimos anos

Setor é um dos principais na economia do município e representa R$ 760 milhões 

Com 2 milhões de visitantes por ano, Petrópolis vem mudando seu perfil do turismo, firmando cada vez mais o setor como uma das principais fontes de renda do município. Hoje, o turismo na Cidade Imperial já representa R$ 760 milhões na economia, ou seja, 6% do PIB anual. O carro chefe continua sendo o turismo histórico-cultural, mas ao longo dos anos o município precisou se reinventar no setor e vem fazendo sucesso com diferentes circuitos, como o ecorural e ecológico nas regiões de Secretário e Brejal, o religioso, que tem o Vale do Amor como novidade, além dos polos gastronômicos, com restaurantes e bares apostando em festivais para atrair visitantes, e o cervejeiro, com feiras especiais e visitas às fábricas.

 

          Hoje, Petrópolis conta com 117 meios de hospedagem, sendo 31 hotéis, 71 pousadas, quatro resorts, três SPAs, sete hostels, e um flat, com 6.325 leitos disponíveis, tanto em área urbana quanto em recantos bucólicos dos distritos. O número é 50% maior do que dez anos atrás, quando a cidade registrava 78 meios de hospedagem.

          “Petrópolis entendeu que o turismo é a saída para vencer a crise e o município tem investido cada vez mais no setor. Ele gera empregos diretamente e ajuda a garantir os postos de trabalho de mais de 30 mil pessoas”, destaca o prefeito Bernardo Rossi. “Um das ferramentas para fomentar o turismo são as grandes festas. Juntas, elas movimentam mais de R$ 400 milhões na nossa economia. Isso ajuda a aumentar a arrecadação da cidade, o que é revertido para todos os setores, como educação, saúde”, completa o prefeito.

Só em 2018, a atividade turística no município gerou 4.458 empregos diretos, com trabalhadores em hotéis e pousadas, por exemplo, um aumento de 6,3% em relação ao ano anterior. A estimativa é de que o turista em Petrópolis gaste de R$ 300 até R$ 700 reais dependendo do tipo de turismo e o tipo de hospedagem.

Guia de turismo há 13 anos, Raquel Neves vem observando a mudança do perfil turístico de Petrópolis nos últimos anos. “O turismo histórico cultural e o pedagógico ainda são os mais procurados na cidade, mas ao longo dos anos fomos percebendo que o visitante mudou, ele vem em busca do turismo de experiência, ou seja, ele quer vivenciar os atrativos da cidade, então aumentou a procura por destinos como o Brejal e Secretário, com o turismo rural, ou atrativos como o Sarau Imperial e o Chá da Princesa, que permitem que o turista vivencie aquela experiência. De dez anos pra cá o turismo mudou muito na cidade”, explica.

Um dos meios de monitorar o turismo em Petrópolis são os Centros de Informação Turística (CTIs). Em 2018, 61.810 passaram pelos cinco espaços disponíveis em Petrópolis. Desses, 3.368 (5,45%) são estrangeiros e 58.442 (94,55%) brasileiros. Da procedência nacional, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Rio Grande do Sul estão entre os estados mais visitados. Já Argentina, França, Chile, Estados Unidos e Espanha estão no ranking dos turistas estrangeiros.

Entre os passeios que vêm crescendo nos últimos anos está o cervejeiro, com visita à primeira cervejaria do Brasil – hoje Cervejaria Bohemia - fundada por aqui em 1853, além das diversas cervejarias e micro cervejeiros locais que contam com beertour. E ainda as feiras de cervejas artesanais, como a Deguste. Todo esse movimento ajudaram a cidade a ser reconhecida como a Capital Estadual da Cerveja.

No circuito religioso, o Vale do Amor é a novidade da vez para os turistas. Um santuário ao ar livre, no bairro Fazenda Inglesa, em meio às montanhas da cidade. Um ponto de encontro para diferentes religiões. Já no circuito rural, Brejal e Secretário têm ganhado destaque, com restaurantes oferecendo comida da roça, visita à produções e fazendas e até uma vinícola.

A meta para os próximos anos é aumentar ainda mais o setor na cidade. “Em 2017 criamos a Turispetro, que é a pasta responsável pelo turismo da cidade, depois de anos sem uma secretaria específica. Agora estamos cuidando do nosso patrimônio, firmando parcerias com a iniciativa privada para aumentar a oferta turística, e dando mais qualidade para as festas. Petrópolis já é uma das principais indutoras de turismo no estado e reconhecida em todo país, mas queremos ainda mais. Queremos que o setor seja a principal fonte de renda do município”, destaca o secretário da Turispetro, Marcelo Valente, lembrando que Petrópolis é nota A no Mapa do Turismo nacional.

Alta temporada na Cidade Imperial, este é o melhor mês para o setor e o frio também tem ajudado a atrair ainda mais visitantes. Neste fim de semana, por exemplo, o casal Keiti Alves, que é auxiliar administrativa, e o analista de sistema Eviston Lins resolveram subir a Serra e aproveitar o que a cidade tem pra oferecer. “Queríamos viajar e, como está frio, decidimos vir pra Petrópolis. Estamos gostando muito”, explica Keiti. “Fizemos uma lista de coisas que queremos fazer aqui. Já tínhamos vindo há muito tempo, então temos bastante coisa pra fazer”, completa ele. Os dois são do Rio de Janeiro.



Edição anterior (1715):
segunda-feira, 22 de julho de 2019
Ed. 1715:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1715): segunda-feira, 22 de julho de 2019

Ed.1715:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior