Edição anterior (1914):
quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020
Ed. 1914:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1914): quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020

Ed.1914:

Compartilhe:

Voltar:


  Educação

Petrópolis terá Lei Maria da Penha tratada nas escolas

Projeto de Lei é do vereador Jamil Sabrá e teve veto do executivo derrubado pelos vereadores

          

 

  Projeto de Lei proposto pelo vereador Jamil Sabrá vai garantir que os estudantes da rede municipal de ensino tenham, na escola, noções sobre a Lei Maria da Penha. A entrada do tema no currículo escolar foi debatida da sessão plenária desta terça-feira (04.02) após ter sido vetada pelo executivo municipal e derrubada com nove votos na Câmara dos Vereadores. A iniciativa busca construir desde a infância o comportamento de combate à violência contra a mulher.

            Em Petrópolis, dados do Dossiê Mulher, documento do Instituto de Segurança Pública (ISP), de 2019 (ano base 2018), apontam que 35,5% das mulheres sofreram violência psicológica, 52,1% das vítimas variam entre 30 e 59 anos e 52,7% dos casos de violência doméstica aconteceram dentro da casa da própria vítima. O Centro de Referência e Atendimento à Mulher realizou 720 vítimas ao longo de 2019 e, só em 2020, já foram 63.

            “É exatamente por estes motivos que devemos despertar esse espírito de enfrentamento e combate à violência contra a mulher desde cedo. O conhecimento será a arma usada nesse processo, tornando adultos mais conscientes de seu papel enquanto cidadão, além de tornar crianças e adolescentes multiplicadores que levarão, para dentro de caso, seu conhecimento sobre o tema”, destaca o vereador Jamil Sabrá.

            De acordo com o projeto, as noções da Lei 11.340/2006 serão desenvolvidas a partir do 6º ano durante todo o ano letivo, realizando, em março, uma programação ampliada específica em alusão do Dia Internacional da Mulher.  O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim) acompanhará a execução de todo o processo e estabelecerá a interlocução com movimentos em prol do combate, ampliando o controle sobre as políticas públicas para as mulheres.

          A vereadora Gilda Beatriz, que votou a favor da derrubada do veto, destacou a importância da Lei durante a sessão da Câmara. “Como mulher fico feliz em ver esse tipo de lei saindo da Casa e me espanta em ver que o executivo vetou a lei, sendo que nem custos irão ter”, destacou. Como ela, votaram pela derrubada do veto os vereadores, Hingo Hammes, Jorge Relojão, Antonio Brito, Ronaldo Ramos, Marcelo Lessa, Marcelo Chitão, Marcelo da Silveira, além do próprio autor do Projeto de Lei.          

 



Edição anterior (1914):
quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020
Ed. 1914:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1914): quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020

Ed.1914:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior