Edição anterior (2439):
quinta-feira, 15 de julho de 2021
Ed. 2439:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2439): quinta-feira, 15 de julho de 2021

Ed.2439:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Posto TORONTO no Bingen é aprovado em fiscalização do Procon

 

 

Durante uma operação do Procon Petrópolis realizada nesta terça-feira (13), em postos de combustíveis no bairro Bingen, foi divulgada erroneamente pelo órgão, a imagem de um posto de combustíveis  que não apresentou nenhuma irregularidade durante a fiscalização. A foto mostra fiscais do Procon em frente às bombas de gasolina do Posto TORONTO, porém, o posto foi aprovado pela fiscalização, atendendo todas as normas e legislação vigente.

O equívoco foi confirmado pela assessoria de comunicação da Prefeitura, na manhã desta quarta-feira (14). “O Procon informa que as fotos retratam a operação de fiscalização, não tendo sido identificado, no posto em questão, qualquer irregularidade. Durante a ação, outros postos foram fiscalizados e em apenas um deles o órgão de defesa do consumidor encontrou problemas em uma das bombas, que foi imediatamente lacrada”, exolicou o órgão.

Em nota, a proprietária do Posto de Combustíveis TORONTO,  lamentou o ocorrido. “Fazemos questão de seguir as orientações do órgão. Não tivemos nenhum problema durante a fiscalização. Inclusive fomos parabenizados por atender todas as normas. Nossa imagem veiculada a uma notícia sobre irregularidades nos faz perder a credibilidade que tanto trabalhamos para conquistar”, lamenta a proprietária do posto de combustíveis que opera há 15 anos na cidade.

O Diário de Petrópolis esclarece que assim que o equívoco por parte do Procon foi identificado, a imagem foi retirada de todas as suas plataformas digitais.

A OPERAÇÃO

O Procon Petrópolis realizou nesta terça-feira (13.07) uma operação de fiscalização em postos de combustíveis do bairro Bingen. Um posto teve uma bomba lacrada por apresentar teor de álcool na gasolina comum acima do permitido por lei. Além disso, houve uma autuação por desacordo com as normas de consumo, não ter o Código de Defesa do Consumidor à disposição dos clientes e falta de exposição dos preços de aditivos usados em motores de automóveis.

Nos postos foram verificados os volumes dos bicos de abastecimento com a utilização do balde de aferição, devidamente calibrado e lacrado pelo Inmetro. Também foi visto se a exposição dos preços dos combustíveis e apresentação ao consumidor estão corretas, de acordo com a nova legislação. Também foi averiguada a pressão das bombas de GNV, licença municipal de operação, certificado de aprovação do Corpo de Bombeiros, alvará de funcionamento, disponibilidade do CDC para os clientes e se o posto possui as três últimas notas fiscais de compra de combustíveis.



Edição anterior (2439):
quinta-feira, 15 de julho de 2021
Ed. 2439:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2439): quinta-feira, 15 de julho de 2021

Ed.2439:

Compartilhe:

Voltar: