Edição anterior (1955):
quarta-feira, 18 de março de 2020
Ed. 1955:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1955): quarta-feira, 18 de março de 2020

Ed.1955:

Compartilhe:

Voltar:


  PROCON

Prefeito Bernardo Rossi determina ação do Procon contra preços abusivos do álcool gel

Órgão vai atender a população pelos próximos 15 dias apenas por canais digitais devido a situação do coronavírus

Por determinação do prefeito Bernardo Rossi, o Procon deu início nesta terça-feira (17.03) a fiscalização dos valores do álcool gel repassados aos consumidores nas farmácias, lojas de manipulação de medicamentos e supermercados, que se estenderão para os distritos. Devido a situação do coronavírus, o Procon também vai manter o atendimento presencial suspenso por 15 dias, mas as denuncias podem ser feitas por intermédio do número de whattsapp: 98857-5837 e pelas redes sociais do órgão.

A equipe do Procon identificou que o preço proveniente dos fornecedores do insumo aumentou muito e os comerciantes não conseguem repor seus estoques. Foram mais de 20 farmácias fiscalizadas. 

“Orientei a equipe do Procon a realizar uma fiscalização minuciosa e permanente do valor cobrado pelo álcool gel e demais produtos relacionados ao combate do coronavírus. Não podemos, nesse momento tão delicado, aceitar um aumento de preços. E que se existir uma cobrança abusiva por parte dos fornecedores de outras cidades, que sejam denunciados”, aponta o prefeito.

Em uma farmácia visitada pela equipe do Procon, o proprietário Idércio Zirondi, afirmou que “diversos fornecedores de álcool em gel só vendem o produto em uma espécie de combo, com a obrigação de adquirir outros medicamentos. Isso é absurdo, além do ágio no preço das máscaras de proteção”, afirma.

A fiscal do Procon, Fernanda Tesch, disse que “que grande parte das farmácias estão encontrando esse problema de aumento de preço dos fornecedores. Em uma primeira fiscalização, não identificamos nenhum tipo de abuso, mas o monitoramento será constante para protegermos o consumidor de qualquer abuso. Vamos procurar oficiar os órgãos fiscalizadores de outras cidades, onde estão localizados esses fornecedores, para que façam esse trabalho de coibir essa situação, já que nós só podemos atuar em Petrópolis”.

O trabalho de fiscalização vai se estender aos distritos nessa quarta-feira (18.03). “Recebemos algumas denúncias de preços abusivos provenientes de farmácias de Itaipava. Vamos percorrer diversos locais dos distritos para averiguar essas informações”, completou Fernanda.



Edição anterior (1955):
quarta-feira, 18 de março de 2020
Ed. 1955:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1955): quarta-feira, 18 de março de 2020

Ed.1955:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior