Edição anterior (1584):
quarta-feira, 13 de março de 2019
Ed. 1584:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1584): quarta-feira, 13 de março de 2019

Ed.1584:

Compartilhe:

Voltar:


  Geral

Prefeitura busca alternativas para charreteiros no mercado de trabalho

 

 

Nesta terça-feira (12), membros do governo estiveram reunidos com os vereadores que compõe a Comissão Especial para o Acompanhamento da Transição das Charretes para apresentar o andamento dos trabalhos. A Prefeitura prepara projeto de lei regulamentando o fim do uso da tração animal na cidade atendendo ao plebiscito que votou pela extinção da prática. Ao mesmo tempo, trabalha em busca de alternativas para os charreteiros.

 A Secretaria de Assistência Social está em contato com representantes do grupo para realizar o cadastro das famílias que dependem da atividade. Cada caso será estudado individualmente para que sejam apresentadas soluções de empregabilidade de acordo com cada cenário. A Assistência estuda maneiras de incluir os charreteiros na realização do serviço de outra forma, sem a utilização dos animais, garantindo o emprego de cada um. 

 “Como anunciamos após o plebiscito, vamos respeitar o resultado das urnas. Ainda no ano passado, determinei a criação de um grupo de trabalho que está estudando alternativas para os charreteiros. A primeira medida é buscar o cadastro dessas famílias para que seja avaliado de que forma podem ser assistidas.  Além disso, o grupo discute as questões de bem-estar animal e de turismo. Todos os segmentos serão contemplados”, pontua o prefeito Bernardo Rossi.

“Nossa equipe segue em contato com os charreteiros para que o cadastro dessas pessoas seja realizado. Dessa maneira, vamos estudar de que maneira podemos assistir cada família. Além disso, seguimos trabalhando dentro de um grupo de trabalho para discutirmos de que forma vamos realocar essas pessoas no mercado de trabalho”, explica Denise Quintella, secretária de Assistência Social. Na reunião na Câmara ela foi representada pelo diretor do Departamento de Proteção e Atenção Social, Rodrigo Lopes.

Antes mesmo da homologação do resultado do plebiscito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o governo municipal já trabalhava para atender a demanda da população quanto à substituição das charretes. O grupo de trabalho está acompanhando as novidades sobre o assunto, avaliando projetos e buscando soluções que atendam todos os lados. O termo de referência obrigatório para o edital de licitação para charretes elétricas está próximo de ser concluído.

“Estamos trabalhando para criar um projeto que permita a continuidade da atividade, mas sem a tração animal. Precisamos explorar o potencial turístico da nossa cidade da melhor maneira possível, respeitando o resultado e o desejo da população. A gente espera ter novidades em breve com relação as charretes elétricas. Também é uma forma de garantirmos o emprego dos charreteiros, que trabalham há anos atendendo os nossos turistas”, disse o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.

No dia 1º de março, o prefeito Bernardo Rossi esteve reunido com 30 protetores de animais e garantiu o fim da tração animal em Petrópolis. O prefeito confirmou que aguarda apenas que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) notifique a Câmara de Vereadores – que deve enviar o projeto após a votação – para sancionar o encerramento da atividade.

 



Edição anterior (1584):
quarta-feira, 13 de março de 2019
Ed. 1584:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1584): quarta-feira, 13 de março de 2019

Ed.1584:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior