Edição anterior (1456):
segunda-feira, 05 de novembro de 2018
Ed. 1456:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1456): segunda-feira, 05 de novembro de 2018

Ed.1456:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Prefeitura retoma investimentos e avança em serviços

Mesmo com o país passando por uma grave crise econômica e financeira, que afetou as contas públicas de diversos municípios, Petrópolis está conseguindo manter as contas em dia. Agora, além de garantir o pagamento de salário dos servidores, o município está buscando a retomada das obras e do desenvolvimento da cidade.

 

 “Os próximos rankings de instituições que medem os avanços econômicos e de qualidade de vida dos municípios já vão sinalizar isso. Mas, hoje, o petropolitano vê, na prática, o que está sendo feito”, afirma o prefeito Bernardo Rossi. O país tem hoje 2,7 mil obras paralisadas, segundo a Confederação Nacional da Indústria, mas Petrópolis recuperou R$ 134 milhões de recursos federais e retomou 13 obras com recursos próprios e em parceria com a União.  Boa parte das prefeituras fluminenses está com salários atrasados dos servidores e Petrópolis, ao contrário, tem salários em dia, décimo terceiro salário garantido e dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal.

A Confederação Nacional dos Municípios aponta que 63% das prefeituras do país fecharam o exercício no vermelho. Na contramão, Petrópolis fechou o ano pagando dívidas – R$ 68 milhões de um total de R$ 119 milhões deixados pela gestão passada só com servidores – parcelou dívidas expressivas com parceiros fundamentais, como o Hospital Santa Teresa que já acumulava R$ 13 milhões referentes a serviços que deixaram de ser pagos em 2016. A prefeitura mantém fornecedores em dia e regularidade nos serviços essenciais à população.

“Os salários nestes dois anos de gestão estão rigorosamente em dia. E agora, que conseguimos respirar melhor, começamos a avançar em benefícios aos servidores”, aponta o prefeito Bernardo Rossi. Cidades das regiões serrana e metropolitana do Rio tem salários atrasados e pagamentos a fornecedores suspensos.

Petrópolis, em 2016, deixou de figurar no ranking das 15 cidades do estado no Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM). “No próximo ranking já estaremos de volta, essa é a meta porque retomamos obras e serviços, em especial na Educação e na Saúde”, afirma o prefeito Bernardo Rossi listando melhorias em 53 escolas, a UPA de Itaipava, e investimento de R$ 13 milhões no Hospital Alcides Carneiro, além da retomada de 14 intervenções do PAC das Encostas, realizado com aporte de R$ 60 milhões do governo federal.

Na prática, a população sentiu os efeitos das melhorias no dia a dia. “Hoje, a merenda nas escolas é de qualidade e farta, a alimentação dos hospitais também é de primeira, estamos concluindo 766 casas populares, as primeiras do MCMV na cidade e estamos asfaltando ruas centrais e fazendo manutenção viária nos bairros. São R$ 7 milhões só em asfalto”, enumera Bernardo Rossi.

Petrópolis também cobra dos municípios vizinhos pelo atendimento que moradores de outras cidades estão vindo buscar aqui. Pacientes da Baixada e até da Região dos Lagos procuraram a saúde pública em Petrópolis. Em 2017 o número de atendimentos de pessoas vindas de outros municípios foi três vezes maior que 2016 – foram 13.308 pacientes no ano passado, contra apenas 3.737 do anterior. Somente na maternidade do Hospital Alcides Carneiro (HAC), única da rede pública, chegam em média 82 mulheres por mês em trabalho de parto. A maior quantidade de pacientes é da baixada fluminense.  “Temos um atendimento muito superior comparado a outros municípios”, aponta Bernardo Rossi.

Folha de pagamento de R$ 535 milhões em dia

Com uma folha de pagamento anual de R$ 535 milhões Petrópolis também mantém salários em dia rigorosamente, já quitou R$ 9,2 milhões de 13º, vai depositar outra parcela no dia 30 de novembro (mas trabalha para antecipar a data) e conclui o pagamento dos benefícios em dezembro.

“Temos orgulho de ter cada um dos servidores ativos e inativos recebendo sem atraso estes dois anos de gestão”, frisa o prefeito Bernardo Rossi.

A prefeitura está liberando os 60 primeiros enquadramentos de um total de 2.662 servidores que terão o benefício concedido nos próximos meses. O enquadramento do quinquênio foi antecipado, e o município continua liberando as licenças prêmios.

A prefeitura vai incorporar o abono por atividade operacional aos salários de 210 guardas civis. A reivindicação é antiga e vinha sendo estudada pelo governo municipal desde o ano passado. A gratificação foi criada em 1999 como forma de evitar as faltas, no entanto, o abono não contava para outros benefícios trabalhistas, como 13º salário, férias e não entrava no cálculo para aposentadoria dos agentes, o que muda com a incorporação.

A prefeitura vem trabalhando para regularizar, férias dos profissionais da Saúde. Para fazer os pagamentos de férias do ano passado, a atual administração precisou regularizar as férias pendentes dos profissionais da saúde referentes 2016, além de ter colocado em dia outros direitos trabalhistas como as férias de cerca de 200 guardas civis, por exemplo. Pagamento do 13º salário de 2016 e consignados também foram pagos no ano passado.



Edição anterior (1456):
segunda-feira, 05 de novembro de 2018
Ed. 1456:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1456): segunda-feira, 05 de novembro de 2018

Ed.1456:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior