Edição anterior (1919):
terça-feira, 11 de fevereiro de 2020
Ed. 1919:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1919): terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Ed.1919:

Compartilhe:

Voltar:


  Defesa Civil

Previsão de chuvas fortes mantém a Defesa Civil em atenção até quinta-feira

Todos os 51 agentes permanecem de prontidão para atender a população

A previsão de 160 milímetros de chuva até a próxima quinta-feira (13.02) mantém a Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias em estado de atenção. O órgão mantém todo o contingente de 52 agentes de prontidão 24 horas para atender aos chamados dos moradores, que podem ser feitos pelo telefone 199. As equipes também monitoram os radares e dos pluviômetros e, em caso de necessidade, poderá acionar as sirenes do sistema de Alerta e Alarme. Todos os equipamentos estão funcionando normalmente.

 

Uma nova frente fria chegou no Estado hoje (10). Segundo o Climatempo, até à noite, a chuva ocorre de forma mais generalizada e há grande risco de temporais. A temperatura diminui em relação ao fim de semana, mas a sensação ainda é de abafamento. Na terça-feira (11), o tempo fica fechado e com chuva frequente. Entre a madrugada e a manhã, ainda há risco de chuvas fortes. No restante do dia, chove com fraca a moderada intensidade.

Em janeiro deste ano, a Defesa Civil registrou um quantitativo de ocorrências que corresponde a 47% do total de atendimentos do ano passado. Foram cadastradas 734 em 2020, enquanto nos 12 meses de 2019 foram 1.575 chamados. Os índices de chuva também aumentaram: foram 690,6 milímetros acumulados em janeiro na Rua 24 de Maio - lugar que mais choveu -, por exemplo, um crescimento de 711% em comparação com o mesmo período do ano passado (85,4 milímetros na localidade).

Já em fevereiro, no mesmo bairro, o acumulado é de 178 milímetros até o momento. “Por conta da grande quantidade de chuva que já caiu em janeiro e nos 10 primeiros dias de fevereiro, é importante que os moradores que vivem em áreas de risco tenham atenção redobrada”, explica o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato. Ele, ao lado do corpo técnico da pasta, acompanha os radares e também os pluviômetros. “A população deve ligar para o 199 e informar caso haja alguma ocorrência”, completa.

“Todas as sirenes estão funcionando perfeitamente, mas é necessário cumprir um protocolo de acionamento, como já expliquei em audiência pública realizada na Câmara Municipal, no dia 14 de janeiro, e também em plenária para dezenas de lideranças comunitárias, na Casa dos Conselhos, no dia 20 do mesmo mês. Estamos de prontidão durante todo o verão monitorando os radares e pluviômetros", ressalta o secretário de Defesa Civil.

Em Petrópolis são 20 conjuntos de sirenes do Sistema de Alerta e Alarme em 12 comunidades: Gentio, Buraco do Sapo, 24 de Maio, Alto da Serra, Bingen, Dr. Thouzet, Independência, Quitandinha, São Sebastião, Sargento Boening, Siméria e Vila Felipe. O acionamento leva em consideração os acumulados recentes 24 e 96 horas - associados a quantidade de chuva na última hora. Os protocolos são iguais para todos os bairros que apresentam maior risco geológico (primeiro distrito).

Outra ferramenta importante para a população é o alerta de Whatsapp da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias. O número é o (24) 98863-5497.

"Uma mensagem simples garante o recebimento de alertas em quatro estágios: vigilância, atenção, alerta e alerta máximo. É mais uma forma de prevenção, que ajuda os petropolitanos a permanecerem atentos neste período crítico", explica o coronel Paulo Renato.



Edição anterior (1919):
terça-feira, 11 de fevereiro de 2020
Ed. 1919:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1919): terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Ed.1919:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior