Edição anterior (1978):
sexta-feira, 10 de abril de 2020
Ed. 1978:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1978): sexta-feira, 10 de abril de 2020

Ed.1978:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Produtores de orgânicos do Brejal trocam feira por entregas em domicílio

Camila Caetano – especial para o Diário

 

Para quem ainda não sabe, o Grupo de Produtores do Brejal confere a Petrópolis o título estadual de Capital dos Orgânicos. A região abrange, sozinha, cerca de 70% da produção de orgânicos de toda a cidade, conforme revelam os dados do Censo Agropecuário 2018 do IBGE.

Apesar da crise causada pela covid-19 não ter afetado diretamente na produção de insumos, ela afetou na logística de entregas dos mesmos, e muitos produtores adotaram a opção de entregá-los nos domicílios com o intuito de resguardar a saúde de seus clientes. Contudo, Lindomar Mello, facilitador de um dos grupos de produtores que existem no Brejal, alerta que neste período, é importante prestar com as possíveis fraudações nos produtos orgânicos.

-A pandemia não afetou diretamente na produção, mas afetou na logística de vendas pois os produtores estão tendo que se reinventar. A maioria já estava habituada em vender nas feiras, que agora, muitas delas foram canceladas para evitar aglomerações. Com isso alguns produtores decidiram migrar para as entregas domiciliares, em que é possível se expor menos aos riscos – conta Lindomar.

Fernando Cassinelli é um produtor no Brejal, ele conta que a pandemia causou muitas alterações na sua rotina, visto que, mesmo antes da quarentena, ele sempre realizou as entregas nos domicílios de seus clientes, em que todos estão localizados no Rio de Janeiro. Contudo, recentemente decidiu dar uma pausa na produção.

-Eu parei a produção de Shitake há três semanas pois entrego pessoalmente para os meus clientes e todos eles moram no Rio de Janeiro. Da última vez que fui, realizei 70 entregas, mas esse não é o momento de eu ficar me expondo desse jeito, e indo de porta em porta. Tenho outras rendas, estou me mantendo como posso – diz Fernando.

Lindomar salienta dizendo que com esse número crescente de entregas a domicílio, a população precisa estar atenta na hora de comprar produtos orgânicos.

-Quando a venda era realizada nas feiras, a Associação Brasileira de Agricultores Biológicos do Rio de Janeiro (ABIO RJ), tinha o controle de todas as mercadorias que chegavam lá, pois existe um documento de rastreabilidade dos mantimentos produzidos. Agora, com as entregas à domicílio, perde-se um pouco o controle de rastreabilidade, e pode ser que alguém tente tirar vantagem neste momento para vender um insumo com altos níveis de agrotóxicos como se fosse orgânico, sendo que não é - alerta Lindomar, que complementa:- quem realmente produz orgânico tem todos os documentos e certificados em que torna possível a rastreabilidade e comprovação - conclui.

Além disso, o Ministério da Saúde ainda informa que uma boa opção na hora identificar os produtos orgânicos, é tendo um bom diálogo com os feirantes sobre a procedência e a forma de cultivo dos mesmos, e comparar se os insumos apresentam tamanhos muito irregulares, que podem ser ocasionados pelo uso de agrotóxicos. Ter conhecimento sobre as siglas e selos de certificados também é muito importante.



Edição anterior (1978):
sexta-feira, 10 de abril de 2020
Ed. 1978:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1978): sexta-feira, 10 de abril de 2020

Ed.1978:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior