Edição anterior (1553):
domingo, 10 de fevereiro de 2019
Ed. 1553:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1553): domingo, 10 de fevereiro de 2019

Ed.1553:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidadania

 

 

Projeto Sal para Terra

Há quase 20 anos Investindo em Vidas

Natália Rodrigues natalia.rodrigues@diariodepetropolis.com.br


 Desde o dia 15 de julho 1999 que a instituição sem fins lucrativos Sal para Terra atende e realiza trabalhos com crianças e adolescentes das comunidades da região do Retiro, ao longo de todos esses anos cerca de 2 mil jovens já passaram pela instituição. Apesar do belo trabalho feito durante todo esse tempo, atualmente busca recursos, doações e voluntários para continuar mantendo os trabalhos e as atividades que ajudam pelo menos 100 crianças dos seis aos 18 anos.

O início

O idealizador desse projeto é o presidente e fundador Adilson Malaquias que tomou essa decisão depois de receber a visita de duas crianças humildes em sua loja. Após esse dia, a mudança aconteceu em sua vida ele decidiu conhecer a rotina dos pequenos e estudar formas para ajudar.

 

- Quando as crianças chegaram à loja com uma sacola com arroz e pão questionei o que era aquilo e responderam que estavam indo buscar comida no Cascatinha. Fiquei assustado porque mesmo sendo morador do bairro, residia na via principal e desconhecia a realidade das comunidades. Fomos conhecer a vida delas e nos deparamos com famílias que passavam por dificuldades e viviam em condições terríveis. Começamos a ajudar com doações de cestas básicas era o que podíamos fazer naquele momento - falou.


 Depois do choque de realidade ao se deparar com as condições de vida das crianças que residiam no bairro, Adilson, que na época já tinha uma formação no judô, começou a ministrar aulas para a meninada. Com o passar dos anos, o projeto foi crescendo, ele junto à esposa abriram mão da loja e passaram a se dedicar totalmente a ONG.

- As crianças começaram a chegar e o trabalho foi tomando grandes proporções, cresceu e chegou até aqui, virando a Instituição Sal para Terra. Hoje atendemos 100 crianças de praticamente sete comunidades do Retiro. E temos uma grande fila de espera grande aguardando vaga – disse.

No prédio localizado a Rua Felipe Camarão número 435, são oferecidos cursos de informática, panificação, consultas com psicólogo, entre outros. Além de toda a alimentação do dia, café da manhã, almoço e lanche da tarde.

- Temos aula de música, curso de informática e atividades ligadas ao esporte como judô, jiu-jítsu e capoeira, esse ano temos em vista ampliar os trabalhos – contou.

Trabalhos voluntários e doações mantêm o projeto

De acordo com Adilson, a instituição hoje em dia tem se mantido graças ao seu próprio telemarketing. Funcionários capacitados ligam para as residências na cidade explicando como funciona o projeto e pedem uma contribuição.

- A instituição vive hoje em dia de portas abertas graças as nossas ligações. Entramos em contato com a pessoa explicando o que desenvolvemos no espaço, fazemos um convite para ela vir conhecer o projeto e vemos com qual a valor poderá estar nos ajudando. Não estipulamos uma quantia, a pessoa que estipula com o quanto poderá contribuir, depois disso marcamos uma data, horário e algum dos nossos “motoboys” vão buscar esses valores. Temos alguns empresários e pessoas que sempre nos ajudam alguns de forma esporádica em períodos de festas, mas precisamos de toda a contribuição, porque temos gastos com a própria instituição como luz, alimentação e precisamos gerar renda para se manter – disse.

Além das doações, o projeto busca despertar o trabalho voluntário nos moradores de Petrópolis.

- Hoje muitos dos trabalhos que desenvolvemos são com voluntários que ficam aqui um período de tempo e em algumas vezes devido às dificuldades não conseguem continuar. Temos alguns funcionários que trabalham conosco e uma grande parte que são voluntários, que queremos efetivar, estamos vendo alguns projetos para mudar essa realidade e estamos abertos para quem queira realizar atividades no espaço – relatou o presidente.

Quem tem interesse em ajudar ou quer tirar dúvidas pode procurar o projeto nas redes sociais ou acessar o site www.projetosalparaterra.com.br. Ou então entrar em contato através do número 2291-5018.



Edição anterior (1553):
domingo, 10 de fevereiro de 2019
Ed. 1553:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1553): domingo, 10 de fevereiro de 2019

Ed.1553:

Compartilhe:

Voltar:


Casando com Estilo








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior