Edição anterior (1747):
sexta-feira, 23 de agosto de 2019
Ed. 1747:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1747): sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Ed.1747:

Compartilhe:

Voltar:


  Saúde

Pronto Socorro do Alto da Serra registra atendimento médio de 2.700 atendimentos ao mês

Unidade conta com sistema de classificação de risco que agiliza o atendimento de casos mais urgentes

            Com 2700 atendimento médicos ao mês, o Pronto Socorro do Alto da Serra oferece o suporte para cerca de 32 mil pessoas ao ano e realiza exames, internações e transferências. A unidade conta com 74 profissionais entre equipe médica (28 clínicos gerais) e de enfermagem (46 enfermeiros, técnicos e auxiliares), que atuam em esquema de plantão 24 horas todos os dias. O PS tem passado por reestruturações que contribuem com a agilidade no atendimento dos pacientes. Uma das melhorias, é a implantação do serviço de classificação de risco que agiliza o suporte aos pacientes de maior urgência.

            “Estamos buscando melhorias para toda a rede de saúde. Estamos estruturando todas as unidades, construindo novas, ampliando serviços para a população. O Pronto Socorro oferece importante suporte para a nossa população e continuamente vamos promover avanços para que o atendimento continue sendo de excelência”, destaca o prefeito Bernardo Rossi, reforçando que muitas pessoas de fora do município buscam atendimento por identificar o suporte que a cidade oferece.

            No Pronto Socorro, 20% dos atendimentos são de pessoas de fora da cidade. A unidade atende moradores de Magé, Piabetá, Duque de Caxias e Santa Cruz da Serra. “Temos registro de pessoas de outras cidades que recorrem ao município pela estrutura que é oferecida”, destaca a secretária de Saúde, Fabíola Heck. O sistema de classificação de risco oferece mais agilidade para no Pronto Socorro. O tempo de espera na unidade, do início do atendimento até a definição de um diagnóstico, é de 40 minutos.

            A paciente Rosa Corrêa, de 70 anos, mora no Quitandinha e busca o atendimento no local. “O posto aqui é muito bom, os médicos são muito atenciosos e o atendimento é muito rápido”, conta. A recepcionista Karla Aguiar, mora no Morin e tem a unidade como referência. “Sempre que precisamos conseguimos atendimento. Meu pai é paciente oncológico e sempre conseguimos um ótimo atendimento. Essa unidade é muito importante para a região”, frisa. O cobrador Jardel Galdino, de 36 anos, também recorre ao Pronto Socorro. “O atendimento aqui é muito bom, sou sempre muito bem atendido. É sempre aqui que venho quando preciso”, conta.

            O PS conta com estrutura para acolhimento e estabilização de quadros clínicos de maior gravidade. O primeiro diagnóstico do paciente é adquirido por exames laboratorial e raio x que vai definir o encaminhamento de cada caso. A unidade conta com duas ambulâncias para o transporte de pacientes (adultos e crianças) para a realização de exames específicos em outras unidades ou internações. Nos primeiros seis meses do ano foram realizados aproximadamente 31.700 exames laboratoriais; 4.300 laudos de raio x; e mais de 400 pacientes foram encaminhados para internação.



Edição anterior (1747):
sexta-feira, 23 de agosto de 2019
Ed. 1747:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1747): sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Ed.1747:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior