Edição anterior (2166):
quinta-feira, 15 de outubro de 2020
Ed. 2166:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2166): quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Ed.2166:

Compartilhe:

Voltar:


  Tecnologia

Qual o papel do DPO na adequação à LGPD?

A lei permite que o trabalho possa ser realizado por empresas especializadas, mas alguns cuidados precisam ser tomados

A entrada em vigor da LGPD, em 17 de setembro,  instituiu uma nova figura no ambiente de tratamento e proteção de dados pessoais, a do DPO (Data Protection Officer), profissional responsável por, entre outras atribuições, proteger as informações dos titulares, assim como as da empresa, além de atuar como uma ponte entre a organização, o titular dos dados e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). Mas qual é a principal atuação deste novo personagem e quais são as habilidades necessárias para que este profissional possa desenvolver seu trabalho?

Uma vez que a lei permite a pessoa jurídica como DPO, as empresas podem pular a etapa da educação e treinamento de um funcionário específico e contratar serviços especializados. “A contratação de uma empresa para este trabalho ajuda o cliente a manter o foco em seu negócio e reduz o tempo de aprendizado da nova lei”, afirma Paulo Poi, diretor de GRC – Governance, Risk and Compliance, América Latina da Cipher, empresa do grupo Prosegur especializada em cibersegurança.

Poi explica que a contratação de uma empresa especializada para esta função exige a tomada de alguns cuidados. A seguir, o especialista da Cipher lista alguns dos cuidados que os gestores precisam ter em relação aos aspectos essenciais que o prestador de serviços precisa performar durante a execução de seu trabalho.

1 – Conhecimentos de TI e interpretação de normas e leis, mas não precisa ser formado em Direito;

2 – Conhecimento técnico para operação de softwares;

3 – Boa compreensão de estratégias de segurança e particularidades do tratamento de dados, como armazenamento e tratamento;

4 – Autonomia para desenvolver suas funções e promover melhorias;

5 – Boa comunicação para lidar com gestores, clientes, autoridades e sócios.

Sobre a CIPHER

Fundada em 2000, a CIPHER, uma empresa global do Grupo Prosegur, especializada em segurança cibernética, oferece uma ampla gama de produtos e serviços, suportadas pelo melhor laboratório em segurança da Informação: o Intelligence Lab. Com escritórios localizados na América do Norte, Europa e América Latina possui seis centros de operação de segurança 24/7, complementados por parceiros estratégicos ao redor do mundo.

A CIPHER é altamente acreditada como provedora de Serviços Gerenciados de Segurança (MSS) por meio das certificações da empresa como ISO 20000 e ISO 27001, SOC I e SOC II, PCI QSA e PCI ASV. A CIPHER também recebeu diversos prêmios, incluindo melhor MSSP da Frost & Sullivan nos últimos seis anos consecutivos. Os seus clientes são compostos por grandes empresas e agências de governo, com inúmeros cases de sucesso. A CIPHER provê às organizações, por meio de tecnologias avançadas e especializadas, serviços que os protegem contra ameaças, enquanto gerenciam riscos e asseguram a operação através de soluções inovadoras.

 



Edição anterior (2166):
quinta-feira, 15 de outubro de 2020
Ed. 2166:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2166): quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Ed.2166:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior