Edição anterior (1645):
segunda-feira, 13 de maio de 2019
Ed. 1645:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1645): segunda-feira, 13 de maio de 2019

Ed.1645:

Compartilhe:

Voltar:


  Incêndio


 Reduzir o número de queimadas é a meta dos órgãos de resposta no período de estiagem

Números positivos do ano passado demonstram a importância do trabalho organizado dentro do Plano Inverno municipal

Reduzir o número de incêndios florestais é a meta dos 58 órgãos de resposta que fazem parte do Plano Inverno municipal. O 15° Grupamento de Bombeiro Militar (GBM) de Petrópolis registrou 302 queimadas em 2017, sendo 174 atendidas pelo Destacamento de Itaipava. No ano passado, foram 174 casos ao todo, com 78 desses acontecendo na região do terceiro distrito. A diminuição é o resultado de uma sequência de ações educativas e de repressão realizadas em conjunto entre a prefeitura, o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, órgãos ambientais e o Ministério Público. A ideia é que o trabalho seja ampliado neste ano, com mais ações acontecendo nas escolas e nos bairros propensos aos incêndios deste tipo.

Criado pela atual gestão, o Plano Inverno municipal foi desenvolvido há dois anos estabelecendo um plano de resposta para agilizar a resposta às ocorrências com a participação de diversos órgãos de atendimento. Ele é organizado e atualizado anualmente pela Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, estabelecendo uma série de ações de prevenção aos desastres de origem natural. O município foi premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) pelo pioneirismo em 2017.

“Desde o início da nossa gestão, trabalhamos de forma preventiva aos desastres de origem natural com planejamento. Nestes dois anos, realizamos uma série de atividades, com treinamentos em conjunto com órgãos ambientais e a criação de uma metodologia pioneira no país com relação as ameaças de inverno.  O reconhecimento internacional comprova que estamos no caminho certo em busca de uma cidade mais resiliente”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.

Buscando reduzir ainda mais a quantidade neste ano, o Plano Inverno municipal começou a ser atualizado pela Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias na última semana. Nele estão previstas uma série de ações de prevenção, como o sobrevoo de um drone nas áreas propensas às queimadas em apoio aos órgãos ambientais; o Defesa Civil nas Escolas, reforçando a prevenção no ambiente escolar; e as operações de caráter educativo, com a entrega de panfletos nas comunidades. 

"Neste sentido, a parceria é importante para que a gente tenha um grande número de pessoas nas ruas trabalhando de forma antecipada ao lado da população”, explica o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato, enaltecendo o Plano Inverno municipal. "Com as ações educativas e a orientação nas escolas, lutamos para preservar esses locais para que a população não sofra no futuro", completa Renato Couto, secretário de Meio Ambiente.

Também como forma de prevenir às queimadas, os petropolitanos podem denunciar os casos para a Secretaria de Meio Ambiente no telefone (24) 2233.8180. Ou ainda ligar para o Linha Verde, programa do Disque Denúncia do Rio de Janeiro exclusivo para recebimento de informações sobre crimes ambientais, através dos telefones 0300 253 1177 e (21) 2253-1177.

A população deve informar também os locais onde há a queima de lixo doméstico ou entrada em matas com produtos inflamáveis. Quem provoca incêndio está sujeito a punições, dependendo das consequências dos seus atos. "Fazer queimadas, mesmo em áreas rurais, é crime previsto em lei e pode levar a detenção de seis meses a um ano, além da aplicação de multa. Vamos enfrentar um período de estiagem e contamos com o apoio da população", reforça o secretário de Defesa Civil.

Previsão de tempo seco em todo o Estado nos próximos meses

Menos chuvas e temperaturas mais amenas. Essa é a tendência para os próximos meses, segundo o Instituito Nacional de Meteorologia (Inmet).  Nesse período ainda pode acontecer moderada influência do El Niño em algumas regiões do País, mas a previsão é de que os impactos do fenômeno não aconteçam de forma generalizada e significativa.

"É o momento mais crítico relacionado aos incêndios florestais. Precisamos estar atentos e atuando em conjunto para diminuir ainda mais os casos de incêndios florestais", completa Paulo Renato.



Edição anterior (1645):
segunda-feira, 13 de maio de 2019
Ed. 1645:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1645): segunda-feira, 13 de maio de 2019

Ed.1645:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior