Edição anterior (2096):
quinta-feira, 06 de agosto de 2020
Ed. 2096:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2096): quinta-feira, 06 de agosto de 2020

Ed.2096:

Compartilhe:

Voltar:


  Covid-19
 

Região Serrana tem risco moderado para covid-19

Dados do Painel de Indicadores do governo estadual coloca região na área laranja

Wellington Daniel

Petrópolis e os demais municípios da Região Serrana estão na área laranja do Painel de Indicadores de Risco da Covid-19, de acordo com dados da Secretaria Extraordinária das Ações Governamentais do governo estadual divulgados na terça (04). Com esta classificação, as cidades possuem risco moderado para a doença e devem adotar medidas de isolamento ampliadas.

Para a análise, a Secretaria considerou a variação de casos confirmados, mortes e taxa de positividade para a covid-19 entre a última semana epidemiológica e a de 15 dias atrás (semanas 29 e 27). Além da Região Serrana, a Baixada Litorânea, o Noroeste do Estado e a Baía da Ilha Grande também ficaram nesta classificação. Todas as outras tiveram classificação amarela, de risco baixo.

Com a bandeira laranja, o governo estadual recomenda que as cidades suspendam atividades escolares presenciais. Além disso, é dito que devem ser proibidos quaisquer eventos que gerem aglomeração. Atividades não essenciais devem ser avaliadas, com limite de acesso e tempo de uso. Além disso, é preciso modificar horários para evitar aglomerações em transportes.

Desde que o governo estadual começou a realizar este monitoramento, em 8 de julho, Petrópolis e a Região Serrana não têm saído da bandeira laranja. O mesmo acontece com a Baixada Litorânea e a Baía de Ilha Grande. Já a Região Noroeste, chegou a sair no levantamento do dia 17, retornando neste último.

O documento ainda diz que, de forma geral, o Estado do Rio de Janeiro encontra-se na bandeira amarela, de risco baixo. Porém, como há diferenças da curva epidêmica nas regiões do estado, faz-se necessária esta análise regional para que sejam tomadas as decisões necessárias. O texto também diz que não há risco de esgotamento de leitos no sistema de saúde.

- Os resultados encontrados apontaram valores correspondentes aos riscos, que vão de “muito baixo” a “baixo” para a capacidade do sistema de saúde, com destaque para o muito baixo risco de previsão de esgotamento de leitos de UTI, considerando-se a taxa de ocupação em nível relativamente controlado – diz a nota técnica do Painel.

Municípios próximos

Os municípios próximos a Petrópolis também começaram a realizar testagem em massa da população. Assim como aconteceu na cidade, os números dispararam. É o caso de Três Rios. Quando o Diário realizou um levantamento do tipo, no dia 30 de junho, o município possuía 930 confirmações da doença. Já ontem, o divulgado era de 2.189. Aumento percentual de 135,4%.

Em Teresópolis, o aumento foi de 95% neste período de pouco mais de um mês. Eram 930 casos no final de junho para 2.838, de acordo com os últimos números divulgados pela Prefeitura até o fechamento desta matéria.

Município

População estimada (IBGE)

Testes positivos

Óbitos confirmados

Petrópolis (05/08)

306.191

4.055

151

Areal (04/08)

12.572

141

4

Guapimirim (04/08)

60.517

1.199

44

Magé (05/08)

245.071

2.418

152

Miguel Pereira (04/08)

25.538

209

11

Nova Friburgo (04/08)

190.631

1.354

73

Paraíba do Sul (04/08)

44.285

702

23

Paty do Alferes (04/08)

27.769

149

7

Rio de Janeiro (04/08)

6.718.903

72.722

8.419

São J. do V. do R. Preto (05/08)

21.795

337

19

Teresópolis (04/08)

182.594

2.838

91

Três Rios (05/08)

81.804

2.189

53



Edição anterior (2096):
quinta-feira, 06 de agosto de 2020
Ed. 2096:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2096): quinta-feira, 06 de agosto de 2020

Ed.2096:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior