Edição anterior (1848):
segunda-feira, 02 de dezembro de 2019
Ed. 1848:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1848): segunda-feira, 02 de dezembro de 2019

Ed.1848:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Ronaldo Fiani
COLUNISTA

 

As Vocações Econômicas Complementares de Petrópolis: Cultura e Inovação

Tenho escrito com frequência sobre o patrimônio histórico, os museus e a política de apoio à inovação em Petrópolis. Algumas pessoas se surpreendem, dizendo não perceber ligação entre estes temas: afinal, o que pode ser mais distante de uma empresa inovadora do que um museu? Outras se indagam qual a importância de escrever sobre inovação e patrimônio histórico, em uma cidade com tantos problemas? Hoje vou tentar responder a essas duas dúvidas, que são compreensíveis.

Vamos começar com a segunda dúvida: por que escrever sobre museus, patrimônio histórico e inovação em uma cidade com tantos problemas em educação, saúde, transporte e moradia? Em primeiro lugar, é importante deixar claro que em nenhum momento afirmei que Petrópolis não tem problemas. Estes problemas têm sido destacados todos os dias, nos jornais e na mídia digital da cidade, e são de conhecimento de todos. Há, todavia, uma questão menos visível do que a saúde e a educação, por exemplo, mas também muito importante, e que não tem recebido o devido destaque: o problema da vocação econômica da cidade.

Uma vocação econômica bem-sucedida de uma cidade é muito importante, porque ela assegura o desenvolvimento econômico do município e, assim, uma maior arrecadação. Estes recursos, por sua vez, melhoram a saúde, a educação, a infraestrutura etc. Quanto mais pobre o município, maior a dificuldade da gestão municipal em prestar os serviços de que a população precisa. Portanto, o desenvolvimento de uma vocação econômica bem-sucedida é fundamental para garantir as condições mínimas para serviços de boa qualidade para a cidade.

Petrópolis já teve uma vocação industrial bem-sucedida. Sua posição estratégica, perto da antiga capital do país (Rio de Janeiro), na estrada para Belo Horizonte garantiu o desenvolvimento de indústrias importantes desde o final do século XIX. A partir dos anos 1990, contudo, a indústria na cidade sofreu vários reveses, talvez o pior deles a abertura comercial apressada no setor têxtil, que liquidou aquele que era o principal ramo industrial da cidade.

Desde então, Petrópolis conseguiu manter algumas indústrias na cidade com dificuldade. A vocação econômica de Petrópolis teve alguma esperança no desenvolvimento das malharias e do comércio da Rua Teresa, infelizmente muito vulnerável à competição de outros centros da região serrana e da baixada fluminense. Todavia, com a criação do Serratec em 2002, Petrópolis deu um salto de qualidade na sua vocação econômica, com a progressiva atração de empresas de tecnologia de ponta. Estas empresas podem desenvolver uma relação importante de pesquisa e consultoria com as universidades na cidade. Hoje há um horizonte promissor neste campo, que rende maiores lucros e melhores empregos, assim como maior arrecadação.

Junto com a vocação industrial, e agora com a vocação para a inovação, sempre houve a vocação turística, que resulta da presença de um vasto e importante patrimônio histórico na cidade, em boa medida representado pelos museus. Isto torna o turismo cultural parte importante do movimento econômico da cidade. Mas qual a relação disso com a vocação para a inovação? Afinal, como algumas vezes me perguntam, “o que pode ser mais distante de uma empresa inovadora do que um museu?”.

Ocorre que vários estudos demonstram que a criatividade necessária à inovação é estimulada pela atividade cultural, incluindo visitas a museus! É fato comprovado que o contato com coisas que parecem ser “antigas”, que embutem valores estéticos e soluções tecnológicas diferentes, ainda que não devam ser copiadas, estimula a imaginação para encontrar caminhos originais para os problemas tecnológicos que são enfrentados no presente.

Cultura e inovação são complementares, e Petrópolis possui uma forte vocação para as duas.



Edição anterior (1848):
segunda-feira, 02 de dezembro de 2019
Ed. 1848:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1848): segunda-feira, 02 de dezembro de 2019

Ed.1848:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior