Edição anterior (2166):
quinta-feira, 15 de outubro de 2020
Ed. 2166:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2166): quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Ed.2166:

Compartilhe:

Voltar:


  Saúde

Rótulo ajuda consumidor a ter escolhas conscientes

O oncologista Ramon Andrade de Mello destaca a importância de alimentação saudável para evitar o câncer

Os consumidores brasileiros agora podem escolher melhor os alimentos embalados. A diretoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou no início de outubro a nova norma sobre rótulo nutricional, que traz a adoção das informações na frente da embalagem.

As empresas terão 24 meses para se adaptarem às novas regras, a partir de sua publicação no Diário Oficial da União. O novo rótulo traz um design de lupa para identificar no alto da embalagem três nutrientes: açúcares adicionados, gorduras saturadas e sódio.

O médico oncologista Ramon Andrade de Mello, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), da Uninove e da Escola de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal), ressalta que as novas regras ajudam o consumidor a evitar alimentos que podem contribuir para o surgimento de doenças como o câncer: “A alimentação é a base de uma vida saudável. Quanto mais temos informações sobre o que consumimos, melhores serão as escolhas”.

O professor da Unifesp lembra que a rotulagem dos produtos alimentícios permite ao consumidor evitar o sobrepeso, um dos fatores de risco de câncer: “aproximadamente 30% dos tumores oncológicos estão relacionados à obesidade”.

O câncer de estômago é outra doença que está diretamente relacionada à alimentação. “Cada vez mais comum entre os mais jovens, muito provavelmente relacionado ao estilo de vida e consumo de alimentos dessa geração, esse tumor é considerado um dos mais agressivos”, alerta o oncologista do Hospital Israelita Albert Einstein.

O médico orienta que o consumo de alimentos com excesso de sal, gorduras, condimentos, conservantes e itens defumados deve ser evitado, assim como o álcool e o tabagismo: “A escolha de alimentos in natura e exercícios físicos regulares podem fazer uma grande diferença na melhoria da saúde e ajudar a evitar os tumores oncológicos relacionados à alimentação”.

Sobre Ramon Andrade de Mello

Oncologista clínico e professor adjunto de Cancerologia Clínica da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ramon Andrade de Mello tem pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Câncer de Pulmão no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra) e doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).

O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é membro do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology – ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology – ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2016-2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO). 

O oncologista é do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital 9 de Julho, em São Paulo, SP, e do Centro de Diagnóstico da Unimed (CDU), em Bauru (SP).



Edição anterior (2166):
quinta-feira, 15 de outubro de 2020
Ed. 2166:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2166): quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Ed.2166:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior