Edição anterior (2528):
domingo, 10 de outubro de 2021
Ed. 2528:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2528): domingo, 10 de outubro de 2021

Ed.2528:

Compartilhe:

Voltar:


  Gastronomia

 

Sabor em Cena
 
Bem-vindos, amantes da gastronomia!
Tem dias que já acordo sabendo exatamente o que quero para almoçar e jantar. Começo o dia imaginando, os sabores, texturas e até mesmo o que vou beber para acompanhar as refeições. Coisa de glutão né?
Esse desejo por um determinado prato vai muito do humor, do mood do dia. Se estiver preocupado, vou preferir comer algo leve, atrasado, uma comidinha fácil, tipo uma massa na manteiga com sálvia, estando tranquilão, uma refeição que o preparo demore horas, cozidos, massas frescas recheadas, molhos com muita redução, são meus preferidos.
Outro fator que influencia muito esse mood é o clima. Amanheceu com aquela chuvinha fina, neblina, ruço, para nós petropolitanos, já me preparo para beber um bom tinto enquanto preparo uma comida que deixe a cozinha com bastante cheiro de ervas e seja reconfortante. Dia claro, sol rachando, nem penso duas vezes, frutos-do-mar, japinha, ceviche, comidas que encham a boca de sabor com muitos contrastes.
E o que fazer para conseguir todos os sabores desejados? Por muito tempo usei temperos comprados prontos no mercado, aqueles de caixinha. Foi difícil parar de usar, aquele gostinho te vicia. O problema desses temperos ultra processados são seus componentes, cheios de química, muito prejudiciais para a saúde. Como minha mulher, Isabela, é contra o uso desses temperos artificiais, e ela que faz as compras da casa, comecei, por livre e espontânea pressão, a cozinhar usando temperos naturais. Fiz uma horta e tenho todos os ingredientes frescos na mão. Se você não tiver uma horta, pode comprar os temperos naturais, que são fáceis de encontrar, com muita variedade, nas casas especializadas.
Cada produto, tempero, tem um uso específico. Mas, o importante é lembrar que o que tem que brilhar são os alimentos. Os temperos estão ali, para realçar sabores e não domina-los.
Vou listar aqui algumas combinações, que uso no meu dia a dia.
Tomilho: carne de porco (casal perfeito), carne de cordeiro, molho de tomate, receita incrível da Chef Lydia Gonzales, confere o insta dela @lydiapgonzalez
Páprica: pode ser doce, picante ou defumada. Há pouco tempo que descobri que a páprica é feita de pimentão. Uma delícia com carnes, aves, batatas, peixes, molhos, é bom com tudo. 
Sálvia: tem um sabor bem marcante, adoro com massas, frango, porco e molhos brancos.
Alecrim: carne de porco, cordeiro, pães e pizzas.
Louro em folhas: carne de porco, feijão e caldos.
Curry: esse tempero é uma mistura de várias especiarias naturais, páprica, cominho, cúrcuma, cardamomo, noz-moscada e outros.
Tem um sabor muito forte e marcante, uso muito com frango e peixes de carne branca.
Manjericão: molhos de tomate, pizzas, berinjela e saladas.
Orégano: Parceiro do Manjericão nas pizzas, molhos de tomate, saladas e marinadas.
Cominho: é daqueles que ou amam, ou odeiam. Sabor marcante, de origem egípcia, hoje é o tempero mais consumido no Brasil. (fonte: Youtube, programa de gastronomia, com uma apresentadora loira que não lembro o nome) Sopas, caldos, frango, mas com muita moderação.
Noz-moscada: é uma especiaria muito aromática. Muito usada no molho bechamel, aqui em casa uso na fondue de queijo e em  molhos que levem creme de leite. Mas, atenção, a noz-moscada deve ser aquela inteira e deve ser ralada na hora do preparo. A que é vendida já moída, não tem sabor.

Depois dessas dicas, duvido que você vai querer comprar tempero pronto para sua cozinha.


Edição anterior (2528):
domingo, 10 de outubro de 2021
Ed. 2528:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2528): domingo, 10 de outubro de 2021

Ed.2528:

Compartilhe:

Voltar: