Edição anterior (1734):
sábado, 10 de agosto de 2019
Ed. 1734:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1734): sábado, 10 de agosto de 2019

Ed.1734:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Semana Mundial do Aleitamento Materno tem Dia D na Praça D. Pedro

Profissionais da saúde e voluntários realizaram atendimentos de saúde e beleza

           

 

O Dia D da Semana Mundial do Aleitamento Materno teve ação na Praça D. Pedro com abordagens a gestantes, mães, pais e familiares. Os profissionais das áreas técnicas da Secretaria de Saúde deram orientações de saúde com atendimento sobre nutrição, odontologia, psicologia e prevenção ao tabagismo. O evento também abriu espaço para o bem-estar e beleza com corte de cabelo, maquiagem, massagem nas mãos e higienização facial. A iniciativa marca as ações voltadas para intensificação da amamentação realizadas em todas as unidades da rede de atenção básica da Secretaria de Saúde na primeira semana do mês.

            “Nossa rede de saúde atua de forma a alertar sobre a importância de se adotar uma conduta preventiva para a saúde. O aleitamento é uma prevenção e garantia de bom desenvolvimento para as crianças”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.

            Desde às 9h todas as mães e gestantes que passaram pela praça foram abordadas com orientações e entrega de brindes. A campanha deste ano busca alertar para a importância da participação dos pais e de toda a família no apoio ao aleitamento. “A amamentação é uma experiência muito boa, é muito importante para o bom desenvolvimento do meu bebê, sem contar o contato gostoso que tenho com ele quando estou amamentando”, destaca a vendedora, Ingrid Furtado Silva, de 29 anos.

            Mãe do segundo filho, o Arthur André, com um mês de vida, Ingrid conta com o apoio do marido na rotina da amamentação. “Ele me ajuda muito, é muito importante o apoio do pai e de toda a família”, frisa. O evento contou com o  psicólogo Fernando Araújo, que atuou como voluntário dando orientações e tirando dúvida de mães e gestantes. Na ocasião, o profissional aproveitou para abordar sobre os aspectos não só biológicos, mas psicossociais que envolvem o aleitamento materno.

            “A amamentação envolve questões biológicas, mas também esbarra com a vontade da mãe em amamentar. A mãe enfrenta várias questões de sua referência pessoal, de interferências do meio em que vive, da disponibilidade em amamentar, do apoio do pai e familiares, entre outros”, conta o psicólogo, ressaltando que ações como essa são de grande importância para incentivar a prática do aleitamento exclusivo nos primeiros seis meses de vida da criança e complementar até os dois anos de idade. Segundo ele, por conta da necessidade de retomar a vida profissional após o nascimento dos filhos, o índice de mães que oferecem o aleitamento exclusivo nos primeiros meses de vida é de apenas 27%.

            A consultora de vendas Janeane Margarido, de 28 anos, é um desses casos. Com dificuldades nos primeiros dias após o parto, ela conseguiu amamentar sua filha Antonella, hoje com um ano de idade, até os três meses exclusivamente com leite materno. “Não foi fácil no início, mas depois ela mamou bastante, mas parei com três meses. Hoje ela ainda mama à noite”, conta a mãe.

            As ações de sensibilização ao aleitamento materno terão continuidade ao longo de todo o mês nas unidades de saúde. “Vamos aproveitar esse período para reforçar as orientações que são rotina nas nossas unidades”, destaca a secretária de Saúde, Fabíola Heck.



Edição anterior (1734):
sábado, 10 de agosto de 2019
Ed. 1734:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1734): sábado, 10 de agosto de 2019

Ed.1734:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior