Edição anterior (2248):
terça-feira, 05 de janeiro de 2021
Ed. 2248:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2248): terça-feira, 05 de janeiro de 2021

Ed.2248:

Compartilhe:

Voltar:


  Tecnologia

Serratec abre inscrições para Residência em Software 

Capacitação tecnológica por imersão é gratuita e beneficiará cidades de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo 

Ascom/Foto divulgação

 

O Serratec – Parque Tecnológico da Região Serrana abre amanhã (05) até 31 de janeiro, através de seu site (http://serratec.org/ residencia-de-software), as inscrições para o processo seletivo 2021.1 do programa de Residência em TIC/Software, em Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo. Trata-se de um curso gratuito de imersão tecnológica, voltado à qualificação profissional de programadores, que une teoria e prática e dura quatro meses e meio.  

É preciso ter o ensino médio concluído, ser maior de 16 anos, ter disponibilidade de aprender e estudar mais de oito horas por dia e, preferencialmente, morar em um dos três municípios serranos ou em pequenas cidades vizinhas a eles, em um raio de 30 km. E não precisa ter conhecimento prévio em tecnologia, senão disposição de mergulhar de cabeça na oportunidade.  

Ao final, o aluno ainda pode conseguir emprego em uma das empresas parceiras do Programa. É uma espécie de passaporte para um dos mercados que mais cresce no mundo, o de tecnologia. Por conta da pandemia da Covid-19, será realizado em formato online, com aulas ao vivo, seguindo o modelo já operado em 2020. Mulheres, pessoas com deficiência, pessoas negras e quem estudou em escola pública são públicos prioritários, de acordo com o edital do Programa. 

Um dos objetivos da Residência é ajudar a suprir a demanda por profissionais de TI das empresas da região e fomentar a atração de novos empreendimentos de tecnologia para as cidades serranas. 

Um levantamento de 2019 da Brasscom, a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, revela que o segmento de TI demandaria 420 mil novos profissionais, entre 2018 e 2024, no Brasil, o que representaria uma média de 70 mil novos profissionais/ano, no período. O mesmo estudo aponta, entretanto, que a oferta de profissionais capacitados, principalmente pelas universidades, canal tradicional de formação, é de apenas 46 mil por ano – em um país com as taxas de desemprego em torno de 13%. O verbo é no futuro do pretérito porque o estudo foi realizado antes da pandemia do novo coronavírus, quando os gargalos para o crescimento e desenvolvimento do setor brasileiro de TI já eram evidentes. Com a aceleração da transformação digital, a abertura de empregos no setor foi turbinada e o déficit de profissionais no mercado, certamente, ampliado, agravando o cenário de escassez de trabalhadores. 

Segundo o empresário e Presidente do Serratec, Marcelo Carius, a Residência em TIC/Software atua diretamente nesta dor do mercado. “Com este Programa pretendemos contribuir com o crescimento das empresas de TI da região e gerar mais propriedade intelectual. Para isso, precisamos de profissionais qualificados em desenvolvimento de software e em outras áreas da tecnologia. Como no mercado não tem estes profissionais disponíveis, resolvemos ser parte da solução, arregaçar as mangas e montar um processo próprio de qualificação profissional ágil, alinhado às tecnologias e demandas do mercado e com certificação do Senai, válida em todo território nacional”, explica Carius.  

O empresário conta que, além de contribuir para mitigar esse “apagão profissionais no mercado”, o Programa aposta também no impacto social que o modelo já vem gerando. “A Residência já nasceu com esse propósito. Queremos aumentar o acesso e as oportunidades profissionais e de renda para quem vive na região, em um segmento que não para de crescer e oferece muitas perspectivas. É um programa que impacta o Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios, porque influencia a educação e a geração de renda, duas das três métricas de composição do índice. Acreditamos que, através dessa oportunidade, muitas pessoas podem transformar suas vidas”, acrescenta o presidente. 

Esse é o caso de Tatiane Lanzetti, residente da turma de 2020 do Programa, em Petrópolis, atualmente contratada pela Info4, empresa petropolitana especializada em Business Intelligence e associada ao Serratec. “Há muito tempo eu estava buscando oportunidade de mudança de carreira. A Residência veio como esta oportunidade e eu agarrei! Estudei muito, me dediquei demais para acompanhar e aprender, até porque vim de outra área que não tem nada a ver com tecnologia. E os meus colegas foram fundamentais nas horas que balancei”, conta a residente, referindo-se as vezes que pensou em desistir, dada a intensidade de dedicação que o curso requer. “Mas eu me apaixonei pela área. Sou muito grata pela transformação que vivenciei com este projeto e com a oportunidade de agora ser parte da carreira do futuro”, conclui Tatiane. 

Para o primeiro semestre de 2021 serão abertas 74 vagas em Petrópolis, 74 em Teresópolis e 35 em Nova Friburgo. A previsão é que no segundo semestre o desenho se repita, tendo, ao final deste ano, 370 novos devs - termo usado para se referir aos profissionais de programação - atuando no mercado de TI na região. 

Desde 2019, o Serratec já capacitou 177 pessoas de diferentes faixas etárias, com níveis educacionais variados e oriundos de distintas áreas de conhecimento, entregando diversidade e profissionais multidisciplinares ao mercado de TI da região. Um outro diferencial da Residência é que, além do conhecimento técnico adquirido, os alunos têm a oportunidade de aprofundar e desenvolver soft skills, que são habilidades comportamentais e competências interpessoais.  

O índice acumulado de contratação por parte das empresas parceiras do Programa, em 2019 e 2020, é de 65%. Essas empresas adotam os residentes, que ingressam no curso através de um processo seletivo, e investem em sua formação no período. Assumem também o compromisso de trazer para os alunos e mentorar projetos reais, com problemas de tecnologia a serem solucionados. A premissa do Programa é que, unindo teoria e prática, o futuro profissional estará mais preparado para o que vai encontrar no mercado de trabalho. Ao final, as empresas participantes decidem ou não pela contratação desses novos desenvolvedores.  

“Não há forma melhor de conseguirmos profissionais qualificados que atendam bem as demandas do mercado corporativo do que fazer parte da formação dessas pessoas. E você ter a chance de dar a algumas delas oportunidade, que talvez não fossem ter, apoiando a transformação de suas vidas, é algo simplesmente sensacional”, celebra o empresário Guilherme da Motta Alves, sócio e CEO da t2m - Test to Market e fundador da Best2BEE, empresas associadas ao Serratec e parceiras do Programa. 

O processo seletivo é formado por etapas que vão desde provas online, passando por entrevistas e dinâmicas de grupo. As aulas terão início em março e encerram em julho, com uma maratona de programação. 



Edição anterior (2248):
terça-feira, 05 de janeiro de 2021
Ed. 2248:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2248): terça-feira, 05 de janeiro de 2021

Ed.2248:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior