Edição anterior (1639):
terça-feira, 07 de maio de 2019
Ed. 1639:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1639): terça-feira, 07 de maio de 2019

Ed.1639:

Compartilhe:

Voltar:


  Política

Símbolo mundial do autismo pode ser inserido em placas de atendimento prioritário em Petrópolis

Familiares de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) aguardam que seja colocada em pauta na Câmara de Vereadores de Petrópolis, Região Serrana do Rio, uma Indicação Legislativa, de autoria do vereador Marcelo Pró Deficiente, que pede ao executivo que encaminhe para a casa um Projeto de Lei que obrigue estabelecimentos, bem como empresas de transporte público do município a garantirem o atendimento prioritário a pessoas com TEA, a partir da inserção de placa de sinalização com o símbolo mundial do autismo.

“A Indicação foi um pedido da mãe de uma criança autista durante uma entrevista de rádio ao vivo. Na hora, me comprometi a criar a Indicação. A ideia é que repartições públicas, locais como supermercados, bancos, farmácias, lojas, restaurantes, empresas de ônibus, entre outros, possam garantir aos pacientes diagnosticados com o TEA o direito ao atendimento preferencial”, conta o vereador Marcelo, que é o presidente da Comissão de Defesa da Pessoa com Deficiência e do Idoso da Câmara Municipal. “Tenho certeza que a Indicação será aprovada e contaremos com o apoio do prefeito Bernardo Rossi nessa questão”, completa.

Para Maria Teresa, mãe de um menino de 12 anos com autismo, a lei pode facilitar não só o atendimento dos autistas, pais ou acompanhantes, como também vai ser favorável a todo o ambiente onde se encontram. Ela explica que qualquer barulho diferente para o autista pode desencadear uma crise.

“Muitas famílias deixam de ir a vários lugares em função disso. Em certos casos, a reação das pessoas em volta é de que há birra e que os pais não sabem educar. É constrangedor e desnecessário já que o atendimento pode ser agilizado. Uma coisa simples, mas que faz toda a diferença em nossas vidas”, relata.

Transtorno do espectro autista

O TEA é um transtorno de desenvolvimento da primeira infância em que ocorrem dificuldades na comunicação e interação social. Não há só um tipo de autismo, mas graduações dentro desse transtorno de desenvolvimento. Um espectro abrange diferentes gradações, intensidades.

Os transtornos do espectro autista podem afetar todo o organismo e por isso serem confundidos com outros problemas isolados. As crianças podem ter convulsões, distúrbios do sono, ansiedade, transtornos alimentares, TDAH, distúrbios de linguagem.

Crianças com transtorno do espectro autista têm direito a um tratamento com médicos especialistas, psicólogos, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais que cuidem dos problemas físicos, da saúde mental e que também tenham preparo para ajudar a família a treinar novos comportamentos. A terapia comportamental é a intervenção com maior comprovação científica.



Edição anterior (1639):
terça-feira, 07 de maio de 2019
Ed. 1639:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1639): terça-feira, 07 de maio de 2019

Ed.1639:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior