Edição anterior (1816):
quinta-feira, 31 de outubro de 2019
Ed. 1816:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1816): quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Ed.1816:

Compartilhe:

Voltar:


  Política

Transporte irregular de passageiros no município é alvo de reclamações

 Taxistas denunciam a prática ilegal de motoristas que atuam em diversos pontos da cidade

Yasmim Grijó

 

A equipe do Diário recebeu inúmeras denúncias de taxistas sobre os transportes irregulares de passageiros. Este tipo de ação, segundo eles, acontece em todas as regiões da cidade, gerando prejuízos para o sistema de transportes públicos e particulares de Petrópolis.

 Um taxista da cidade, que não quis se identificar, explicou que esses motoristas de transporte ilegal estão circulando com frequência, sendo flagrados diariamente chamando pessoas em pontos de ônibus para negociarem corridas.

- Eles usam letreiros luminosos, pois algumas pessoas fazem sinal para os mesmos como se fossem táxis. Ou, nas madrugadas, aqueles motoristas que foram expulsos dos aplicativos de transporte particular, usam esses artifícios para fazerem pontos em frente às casas noturnas, bares ou eventos. Assim, chama a atenção da pessoa, que negocia direto a corrida e, muitas vezes, sai mais caro que o próprio táxi. Tenho também conversas de grupos de aplicativo de mensagens negociando corridas por fora do transporte regular– disse.

O taxista diz que esses veículos clandestinos também estão atrapalhando o trânsito. E estão ficando parados em pontos de ônibus, de táxi e carga e descarga. São locais fixos que já se tornaram rotina, como se fossem carros cadastrados.

-Os carros estão parando em lugares proibidos. É uma falta de respeito com a população e com quem circula legalmente e trabalha honestamente. Além disso, presenciei diversas vezes situações de constrangimentos com deficientes físicos, nas quais esses motoristas negaram corridas para os mesmos. A maioria dos carros é de fora do município e estão tirando o emprego de quem quer trabalhar honestamente – ressaltou.

Diante de informações e situações flagradas pela Associação dos Taxistas, as irregularidades foram registradas em um ofício que foi encaminhado ao gabinete do Prefeito Bernardo Rossi pedindo que providências fossem tomadas em relação ao transporte irregular.

Segundo um dos representantes da Associação dos Taxistas, Bruno Dias da Silva, em grupos de aplicativo de mensagens tais motoristas estão ‘’zombando’’ de autoridades e da população por cobrar valor a mais do que o normal e ser aceito. A instituição possui provas de tais ações que vão ser encaminhadas para o Ministério Público.

Empresas de ônibus também apontam irregularidade

Em nota, o Setranspetro (Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Petrópolis)  fala que durante alguns meses flagrou diversos motoristas atuando irregularmente. Na ocasião, os condutores transportavam os passageiros mediante remuneração, porém, sem nenhum tipo de autorização, contrariando a Lei Municipal nº 7.827 e o Código de Trânsito Brasileiro, que sofreu alteração recente, com a Lei Federal nº 13.855, onde o motorista é punido com multa de até R$ 1.467,35, remoção do veículo, além de sete pontos na carteira de habilitação.

Para Carla Rivetti, gerente do Setranspetro, o grande problema no município é a prática irregular do serviço de transporte de passageiro, que desrespeita qualquer tipo de lei e de regra, inclusive, as estabelecidas pelas próprias plataformas dos serviços por aplicativo, que pode gerar diversos prejuízos.


-É necessário que exista fiscalização rigorosa para garantir a segurança dos passageiros e também a prática regular de todos os serviços de transporte que são oferecidos na cidade. É importante respeitar a livre concorrência, desde que esta aconteça levando em consideração as leis, regras e regulamentações, inclusive, gerando mais legitimidade ao exercício dos serviços prestados por aplicativo. Temos que ressaltar também que o Sistema de Transporte Coletivo por ônibus é o único que transporta todos os passageiros da gratuidade- disse.

Sancionada em setembro deste ano, a Lei Municipal nº 7.827 regulamenta a prestação do Serviço de Transporte Individual Privado de Passageiros (STIPP), baseado em tecnologia de comunicação em rede, onde cabe à CPTrans a normatização e a fiscalização.

O Setranspetro aguarda a normatização e a regulamentação da lei e reforça que não é contra nenhum tipo de transporte que aconteça de forma regular, mas cobra ações para coibir a prática ilegal no município.



Edição anterior (1816):
quinta-feira, 31 de outubro de 2019
Ed. 1816:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1816): quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Ed.1816:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior