Edição anterior (1758):
terça-feira, 03 de setembro de 2019
Ed. 1758:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1758): terça-feira, 03 de setembro de 2019

Ed.1758:

Compartilhe:

Voltar:


  Economia

Vantagem faz vendas do etanol dispararem, mas isso não se reflete em Petrópolis

Em Petrópolis e no Estado, o valor do álcool combustível não está na proporção adequada em relação à gasolina

Philippe Fernandes

 

Em diversas regiões do país, o consumo de etanol disparou em 2019. A vantagem frente à gasolina fez com que os estoques do combustível derivado da cana de açúcar atingissem 7,11 bilhões de litros no último dia 15 de agosto, um recorde. Os estoques do álcool hidratado, que é usado para o abastecimento dos veículos, caiu 21,6%. O etanol é vantajoso em Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, São Paulo e Paraná - em Belo Horizonte, por exemplo, cerca de 65% dos consumidores preferem abastecer desta forma, de acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo no Estado de Minas Gerais (Minaspetro). Apesar dessa corrida ao álcool, em Petrópolis esse fenômeno ainda não aconteceu: o combustível é desvantajoso nos postos.

Pelo menos é o que aponta a última pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP), realizada em 18 postos de 11 bairros de Petrópolis. Para ser vantajoso, o etanol deve custar 70% ou menos que o preço da gasolina. No último levantamento da ANP, a menor taxa foi de 75%, no posto BR Coronel Veiga, e nenhuma unidade sequer chegou perto da proporção ideal. O valor médio do álcool combustível na cidade foi de R$ 3,90, e a variação foi de 30 centavos: o menor preço, de R$ 3,69, foi encontrado no Auto Posto Ônix 1243, do Quitandinha. O maior preço, de R$ 3,99, foi registrado em 10 das 18 unidade: Maria Cumprida, de Araras; Preditiva, da Rua Montecaseros; os dois postos União de Corrêas; o Alcatraz e o Bonsucesso, em Itaipava; o Ponte de Lima, em Secretário; o Barenco & Coelho e o Mercalub, na Posse; e o Auto Posto Vale do Samambaia.

Já o preço da gasolina se manteve estável, com média de R$ 4,92, e com o mesmo fenômeno observado em pesquisas anteriores: uma variação muito pequena entre os preços. No último levantamento da ANP, cinco postos (Ônix 1243; Nat, do Quissamã; NGF, de Corrêas; além do Trevi e do Borracheiro e Posto de Abastecimento, ambos de Itaipava) cobraram R$ 4,79. Outros 11 cobraram R$ 4,99: Maria Cumpirda; os dois postos União; Enzo Itaipava; Bonsucesso; Alcatraz; Ponte de Lima; Barenco & Coelho; BR Coronel Veiga; Mercalub e Vale do Samambaia. Entre os dois valores, o Amarelinho, do Alto da Serra, cobrou R$ 4,89 pelo litro do combustível.

Com relação ao preço da gasolina, Petrópolis tem o nono maior valor cobrado no Estado. A "campeã" é Angra dos Reis, seguida de Cabo Frio, Saquarema, Barra do Piraí, Três Rios e Volta Redonda. Os valores mais baixos são encontrados em São João do Meriti, Campos dos Goytacazes, Itaboraí, Nilópolis e Nova Friburgo. O mesmo acontece com relação ao etanol. Petrópolis tem o nono maior valor do Estado - "perde" para São Francisco do Itabapoana, Cabo Frio, Valença, Barra do Piraí, Volta Redonda, a capital do Estado, Angra dos Reis e Barra Mansa. O álcool sai mais barato para quem mora em Santo Antonio de Pádua, Campos, Friburgo, Itaperuna, Duque de Caxias e São João do Meriti.

 



Edição anterior (1758):
terça-feira, 03 de setembro de 2019
Ed. 1758:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1758): terça-feira, 03 de setembro de 2019

Ed.1758:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior