Edição anterior (1438):
quinta-feira, 18 de outubro de 2018
Ed. 1438:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1438): quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Ed.1438:

Compartilhe:

Voltar:


  Trânsito
É necessário a implementação de guard rails nas localidades onde ocorreram os acidentes.

Vereadores debatem segurança no trânsito da cidade

Constantes acidentes nos rios foram discutidos na sessão de ontem, na Câmara Municipal

Yuri Lima yuri.lima@diariodepetropolis.com.br

Ontem (17), os constantes acidentes envolvendo veículos nos rios na cidade foi tema de debate na Câmara dos Vereadores. Os parlamentares discutiram ações que podem ser executadas para mudar o quadro. A discussão foi levantada pelo vereador Antonio Brito (PRB), que lamentou os acontecimentos das últimas semanas.

- Foram 47 acidentes nos rios nos últimos cinco anos, sem contar as mortes, num total de seis pessoas. Mas ainda sabemos das pessoas que ficaram mutiladas, perderam a perna, tiveram seqüelas dos acidentes. Além de todo o prejuízo que a pessoa teve e o estrago também nas áreas públicas – afirmou.

Para o vereador, é necessário a implementação de guard rails nas localidades onde ocorreram os acidentes. Para Brito, a medida não seria a única que deveria ser executada, mas poderia evitar novos casos.

Para o vereador Fred Procópio (PSDB), ex-secretário municipal de Meio Ambiente, a instalação dos guard rails não esbarraria com problemas ambientais, mas o fato dos rios serem tombados pelo patrimônio histórico.

- Isso já foi questionado, e não há problema ambiental nenhum com a implementação desta proteção nos rios. O que pesa é a questão de tombamento. Se me recordo, em 2009 e 2010 foi feito um estudo relacionado ao tema, e o problema é o traçado da pista, que segue a via fluvial – informou.

O parlamentar ainda salientou a importância dos guard rails, declarando que a implementação é fundamental. Já o vereador Silmar Fortes (MDB), afirmou que além das questões de proteção, é importante melhorar as informações em relação a segurança no transito.

- Não há educação, há uma competição no transito. Há pessoas que entram nas ruas e acham que é uma pista de corrida. Às vezes tem anotado no chão o sinal de “50km”, mas as pessoas seguem nesta velocidade? Poucos vão ser educados, 99% passam acima de 50km. É uma questão de educação, respeito e cultura – declarou.

Silmar salientou ainda que não há respeito nas faixas de pedestres municipais, sendo difícil ter pessoas que respeitam os sinais. O vereador Reinaldo Meirelles (PP) disse que algumas pessoas criticam a utilização do equipamento, alegando que poderia gerar problemas de segurança. O parlamentar discorda.

- Pelo posicionamento do guard rail e o traçado da via, paralelos que seguem o mesmo sentido, é óbvio que o choque não seja frontal. Normalmente a colisão se dá de forma perpendicular. Então o que nós temos não é um choque frontal, é um resvalamento. O perigo é na ponta, no seu início, o que é facilmente resolvido se ele for colocado em curva – afirmou.

 



Edição anterior (1438):
quinta-feira, 18 de outubro de 2018
Ed. 1438:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1438): quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Ed.1438:

Compartilhe:

Voltar:







Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior