Edição anterior (1670):
sexta-feira, 07 de junho de 2019
Ed. 1670:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1670): sexta-feira, 07 de junho de 2019

Ed.1670:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
 Vida Militar
... e outros assuntos

 Eng. Mil. Jorge da Rocha Santos
amirp.petropolis@gmail.com

 


 ANIVERSARIANTES AMIRP - Junho: Dia 7 - Francisco Laurindo da Silva, DIA 8 - Alcíria Nogueira Elmer,  Carmem Lúcia de Farias Thaiss; dia  9 - Maria Amélia Guerra; dia 10 -  Vera Regina França Pinto; dia 11 -  Carlos Alberto Gonçalves Ribeiro, Quezia Villela R. Bispo Neves; dia 12 - Ilse Walter Silveira,  José Ailton Teixeira Paulo; Lourival Eckhardt; dia 13 - Flavia Rocha Bordeira,  Malu Nogueira M. de Medeiros Loureiro. A Coluna Vida Militar e a AMIRP parabenizam a todos desejando saúde e felicidades. (foto  - aniversariantes amirp)

 


 APRESENTAÇÃO ANUAL – OP/32º BIL – Os militares da reserva e pensionistas, aniversariantes no mês de junhoo, vinculados à OP/32BIL (ex SIP/32), não se esqueçam da obrigatória apresentação anual até o fim deste mês. (foto  – atenção)

 

 

ALMOÇO DO COMANDANTE DO 32º BIL COM O DIRETOR PRESIDENTE DO DIÁRIO DE PETRÓPOLIS –  atendendo ao convite do Sr Ten.Cel. Allan Danilo de Paiva Salazar, Comandante do 32º Batalhão de Infantaria Leve, o  Dr Paulo Antonio Carneiro Dias, Diretor Presidente do Diário de Petrópolis, participou do almoço no “Nosso Batalhão”, juntamente com o Cel. Eng. Mil José Antônio Simões Bordeira,  com o Cel. Eng. Mil. Jorge da Rocha Santos e com os oficiais que ora servem na Unidade. Um encontro afável e descontraído no qual a boa prosa teve o seu lugar. Na foto ao centro à esquerda Cel Rocha Santos e Cel Bordeira; ao centro à direita Dr. Paulo Carneiro e TCel Allan. (foto  – almoço 32º BIL)

 

 

 MARINHA DO BRASIL  - BATALHA NAVAL DO RIACHUELO – 11 DE JUNHO DE 1865 – “O BRASIL ESPERA QUE CADA UM CUMPRA O SEU DEVER” -  Ao curso da Guerra do Paraguai, após sair da armadilha montada pelos paraguaios, nas proximidades da foz do Riachuelo (canhões e tropas na margem do rio, navios e chatas artilhadas), o Almirante Francisco Manoel Barroso retornou ao local e empregou a Fragata Amazonas, sua capitânia, para abalroar e destruir navios inimigos.


 A batalha foi decisiva para o aniquilamento da esquadra paraguaia e o curso da guerra. O bloqueio naval impediu o Paraguai de receber armamento e navios que encomendara no exterior. As tropas paraguaias retrocederam para dentro do território do Paraguai por verem ameaçados o seu flanco e sua logística. Barroso, como Vice-Almirante em 1868, serviu no gabinete do Ministro da Marinha. Deixou o serviço ativo como Almirante e fixou residência em Montevidéu, no Uruguai onde faleceu, em 1882. Era um homem do mar, o paradigma do comandante de navio veleiro do século XIX, que passara boa parte de sua vida pisando num convés. Era austero, objetivo e disciplinador. (foto 5 –Marinha) (foto 6 – Almirante Barroso)

 

 DEZ DE JUNHO - DIA DA ARMA DE ARTILHARIA - MARECHAL ÉMILE LOUIS MALLET (BARÃO DE ITAPEVY) - nascido em 10 de junho de 1801, assentou praça como primeiro cadete em 13 de novembro de 1822. Optando pela formação no curso de Artilharia. Em 1837, no decorrer da Revolução Farroupilha, foi convidado a servir sob as ordens do General Antônio Elisário de Miranda e Brito, na condição de comandante de uma bateria a Cavalo.

Por decisão de Caxias, veio a ser Chefe de Estado-Maior de Bento Manuel Ribeiro. Em 1851, foi convocado para participar da campanha contra Manuel Oribe e Juan Manuel Rosas, na Guerra do Prata. Em sua trajetória profissional deu inúmeras mostras de ser um soldado de sangue frio, astuto e valente. Em todos os combates de que participou, fez-se respeitado pela tropa, pelos aliados e pelos inimigos.

 Em Tuiuti, 24 de maio de 1866, a maior batalha campal da América do Sul, suas bocas-de-fogo foram batizadas “artilharia revólver”, tal a precisão e a rapidez de seus fogos. Ainda nessa batalha, a previsão e a criatividade do chefe militar asseguraram a importante vitória do Exército Imperial. O profundo fosso que Mallet fez construir para a proteção de suas peças constituiu-se em eficiente obstáculo que impediu o avanço da tropa inimiga Faleceu em 2 de janeiro de 1886, na cidade do Rio de Janeiro, aos 84 anos.  (foto7 – Artilharia) (foto 8 – Marechal Mallet)

 

 MINISTRO DE INFRAESTRUTURA TARCÍSIO GOMES DE FREITAS (Eng. Mil. José Antônio Simões Bordeira). O Min. Tarcísio Gomes de Freitas foi entrevistado, no Programa Roda Viva da TV Cultura SP, no dia 29 de abril.  Um desempenho de gala! Ficaram patentes seus profundos conhecimentos técnicos e o impecável preparo intelectual, quando discorreu sobre os trabalhos em curso, nestes primeiros meses do governo Bolsonaro. Quem é o Min. Tarcísio Gomes de Freitas?  O ministro é oriundo do Exército. Ingressou na AMAN em 1992 e foi declarado Aspirante a Oficial da Arma de Engenharia em 1996.  Cursou o Instituto Militar de Engenharia  graduando-se em 1º lugar, no curso de Engenharia de Fortificação e Construção, em 2002. Como Engenheiro Militar, trabalhou com planejamento, projetos e execução de rodovias, ferrovias, terminais fluviais e barragens em obras sobre a responsabilidade do Exército.

 Entre 2005 e 2006, chefiou a Seção Técnica da Companhia de Engenharia que integrou a Missão Brasileira de Estabilização do Haiti. Deixou a Força em 2009 quando, por concurso, assumiu carreira vinculada à consultoria legislativa da Câmara dos Deputados. Teve passagem na Área de Transportes da CGU. Em 2011, ocupou o cargo de Diretor Executivo do DNIT e, em 2014, ascendeu à Diretoria Geral do órgão. No governo Temer, em 2015, atuou na Secretaria Especial de Programa de Parceria de Investimentos. Essa trajetória profissional credenciou-lhe como um especialista experiente com sólidos conhecimentos em questões da infraestrutura do Brasil, em seus variados modais. Sua explanação permitiu uma visão clara dos principais passos já dados em sua gestão, a saber: o leilão de concessão de 12 aeroportos distribuídos em oito estados. Os vencedores pagarão quase R$ 2,4 bilhões à União;  em 22 de março, foi a vez do leilão de quatro terminais portuários na Paraíba e no Espírito Santo. O?consórcio vencedor pagará R$ 220 milhões de outorga; e, ainda, no dia 28 de março, o exitoso leilão dos 1.537 quilômetros da ferrovia Norte-Sul, de Estrela d’Oeste (SP) a Porto Nacional (TO). Nesse pregão, a operadora ferroviária Rumo arrematou o trecho e pagará à União R$ 2,7 bilhões, o que significa um ágio de 100% sobre o valor mínimo exigido pelo governo. Todos esses concessionários, ainda, farão investimentos de monta ao longo dos 30 anos de suas concessões. Congratulações para o Min. Tarcísio pela excelência de sua gestão na condução da área de infraestrutura; decisiva para o desenvolvimento do Brasil. (foto 9  - Ministro Tarcísio)

“Os nossos desejos são como crianças pequenas: quanto mais lhes cedemos, mais exigentes se tornam.” (Sabedoria Chinesa)

 

 



Edição anterior (1670):
sexta-feira, 07 de junho de 2019
Ed. 1670:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1670): sexta-feira, 07 de junho de 2019

Ed.1670:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior