Edição anterior (1737):
terça-feira, 13 de agosto de 2019
Ed. 1737:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1737): terça-feira, 13 de agosto de 2019

Ed.1737:

Compartilhe:

Voltar:


  Saúde

Vitamina D: carência em mulheres no período pós-menopausa pode causar Síndrome Metabólica


 Uma pesquisa divulgada pela Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (FMB -Unesp) mostrou que existe uma forte associação entre a deficiência de vitamina D e a Síndrome Metabólica em mulheres na pós-menopausa. O estudo durou dois anos e foi feito com cerca de 460 mulheres, entre 45 e 75 anos, que se consultavam no Ambulatório de Climatério e Menopausa da FMB.

Antes de mostrar a pesquisa em detalhes, é preciso explicar o que é na verdade a Síndrome Metabólica. O termo se refere a um conjunto de fatores de risco que aumentam o risco de doenças cardiovasculares e diabetes. Ela tem como base a resistência à ação da insulina, o que obriga o pâncreas a aumentar a produção do hormônio, elevando o seu nível no sangue. A alimentação inadequada, o excesso de peso, o sedentarismo e o histórico de casos na família são os principais fatores que contribuem para o seu aparecimento. Para determinar o diagnóstico, o paciente precisa apresentar três dos cinco critérios abaixo:

  • Circunferência abdominal maior que 88 cm (em mulheres)
  • Pressão arterial acima de 130 x 85 mmHg
  • Glicemia de jejum maior que 100 mg/dl
  • Triglicerídeos acima de 150 mg/dL
  • Colesterol HDL abaixo de 50 mg/dL (em mulheres)

Na pesquisa feita pela FMB, cerca de 57,8% das mulheres que tinham carência (menor que 30 ng/mL) ou insuficiência (menor que 20 ng/mL) de vitamina D apresentaram SM, contra 39,8% das que apresentavam a doença, mas estavam com a taxa em condições normais. De acordo com o artigo, uma possível explicação seria a influência da vitamina D na secreção e sensibilidade da insulina. Em baixa quantidade, ela comprometeria a capacidade das células em converter o hormônio produzido pelo pâncreas. No entanto, os cientistas ressaltam que ainda são necessários estudos mais específicos para confirmar realmente se a relação é real.

Insuficiência da vitamina D no climatério

O climatério é a transição entre o período fértil e o não reprodutivo, culminando na menopausa. Entre as características desta fase, está a irregularidade dos ciclos menstruais e a diminuição dos níveis do estrogênio (hormônio sexual feminino).

Esta alteração hormonal pode ser bastante significativa para a saúde feminina, já que é capaz de prejudicar a produção natural da vitamina D, responsável por regular a absorção de fósforo e cálcio, minerais necessários para o crescimento saudável dos ossos. Sua carência pode provocar uma desmineralização óssea, aumentando o risco de osteoporose. Por conta disso, as mulheres são mais diagnosticadas com o problema, em comparação com homens da mesma faixa etária.

Como obter Vitamina D?

Ao contrário de outras vitaminas, o corpo humano produz cerca de 90% da vitamina D que necessitamos, via exposição solar. Quando os raios UVB entram em contato com uma molécula precursora existente na pele, chamada 7-dihidrocolesterol (7-DHC), ela se transforma numa forma inativa da vitamina D, que será convertida em ativa no fígado e nos rins.

No entanto, sabemos que a exposição intensa ao sol aumenta o risco de diversos problemas, como o envelhecimento cutâneo e o câncer de pele. Por conta disso, o uso diário do protetor solar, principalmente em peles muito claras e sensíveis, é altamente recomendado, o que dificulta a produção da substância.

Como a alimentação também não consegue fornecer a quantidade necessária que o organismo precisa, uma alternativa é a suplementação oral, indicada principalmente para idosos e pacientes que não podem entrar em contato com o sol. É recomendada a ingestão somente sob prescrição médica. 



Edição anterior (1737):
terça-feira, 13 de agosto de 2019
Ed. 1737:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1737): terça-feira, 13 de agosto de 2019

Ed.1737:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior