Edição anterior (1546):
domingo, 03 de fevereiro de 2019
Ed. 1546:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1546): domingo, 03 de fevereiro de 2019

Ed.1546:

Compartilhe:

Voltar:


  Educação

Volta às aulas com R$ 12 milhões em merenda e cardápio balanceado para 40 mil alunos

Aulas começam nesta segunda-feira

 

Os pais conhecem as recomendações médicas: para a criança crescer saudável é necessário uma alimentação balanceada. E é justamente pensando nisso que a Secretaria de Educação mantém o investimento na compra de merenda de qualidade – tanto dos produtos não perecíveis quanto dos hortifrutigranjeiros e carnes. Para garantir a alimentação adequada, o poder público mantém, ainda, uma equipe de nutricionistas que formulam os cardápios e visitam regularmente as unidades de ensino.

As aulas começam segunda-feira, mas, o trabalho da equipe de nutrição não para. É com o levantamento feito por esses profissionais que o poder público garante o investimento na compra de merenda.

“As escolas começaram a receber os gêneros na última semana e as entregas continuarão sendo realizadas semanalmente, tudo para garantir a qualidade dos produtos que são oferecidos para os alunos”, explica o prefeito Bernardo Rossi.

Em 2018 o investimento em merenda foi de R$ 10,6 milhões e a previsão é de que em 2019 o gasto seja de aproximadamente R$ 12 milhões – com as licitações realizadas por registro de preço.

Durante uma visita realizada nessa semana no depósito da merenda escolar, o prefeito Bernardo Rossi conferiu de perto o estoque de alimentos não perecíveis que já estão sendo enviados para as escolas. No local há biscoitos, feijão, doce de leite, macarrão, alho processado, sal, arroz, leite em pó, extrato de tomate, flocos de milho e óleo. Todos os produtos são checados pelas nutricionistas.

“A intenção é a de garantir uma alimentação balanceada. As nutricionistas elaboram os cardápios de acordo com a idade das crianças, por isso, há recomendações diferentes para Centros de Educação Infantil e escolas. Além disso, as nutricionistas visitam as unidades de ensino, conversam com as cozinheiras e dão dicas para que o resultado final, a merenda diária, conquiste o paladar os alunos, até mesmo dos mais exigentes”, contou a secretária de Educação, Marcia Palma.

Além dos gêneros do tipo proteína os cardápios elaborados pelas nutricionistas do NAE preveem a oferta de frutas, verduras e legumes. São programadas três refeições para alunos em período parcial e cinco refeições para alunos em período integral. As refeições são compostas por porções diárias de leite, proteínas (ovos e carnes), frutas, legumes e verduras, além do tradicional arroz com feijão.

Vale salientar que a quantidade oferecida de cada alimento tem como parâmetro a resolução do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) que estabelece a quantidade de calorias, macro e micronutrientes que devem ser oferecidos para cada aluno, como por exemplo, a vitamina A e o Ferro. Para alunos em período parcial, o objetivo é atender a 30% das necessidades nutricionais, já os alunos em período integral, 70%. 

Verduras, legumes, carnes e frutas todos os dias

“O cardápio da rede municipal de ensino tem um diferencial importante. A resolução determina que os cardápios deverão oferecer, no mínimo, três porções de frutas e hortaliças por semana, no entanto, em nosso município, esta oferta é diária”, explica a nutricionista Nathália Thomaz.

No cardápio da merenda há itens como abacate, abóbora, abobrinha, aipim, espinafre, mel, repolho, beterraba, caqui, cebola, inhame, tangerina, tomate e vagem e hortaliças, além de proteínas – carnes vermelhas, peixe e frango e também frutas como banana, maçã, pêra, laranja, maracujá, abacaxi, mamão, melão, melancia e limão.

“Os cardápios também levam em consideração a quantidade em que os alimentos devem ser oferecidos para as crianças. Nos últimos dois anos alguns produtos voltaram a integrar o cardápio da merenda o que contribui para a qualidade nutricional do que é oferecido diariamente”, afirma a nutricionista Nathália Thomaz.

Entre os itens que entraram no cardápio a partir de 2017 estão: azeite, cereal de arroz, doce de leite, farinha de mandioca, fubá, vinagre e peixes.

A equipe da nutrição explica ainda que a ingestão insuficiente de algumas vitaminas e minerais pode causar problemas de saúde. “As crianças estão em crescimento por isso é tão importante um acompanhamento nutricional adequado. A mudança de hábitos alimentares também deve ser levada em consideração e o excesso de calorias pode causar a obesidade, por isso o trabalho é tão detalhado. Os minerais e as vitaminas também são essenciais. A ingestão insuficiente desses elementos pode resultar em atraso de crescimento e em doenças como o raquitismo, anemia e infecções”, afirma.



Edição anterior (1546):
domingo, 03 de fevereiro de 2019
Ed. 1546:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (1546): domingo, 03 de fevereiro de 2019

Ed.1546:

Compartilhe:

Voltar:








Rua Joaquim Moreira, 106
Centro – Petrópolis – RJ
Cep: 25600-000

ABRAJORI – Associação Brasileira dos Jornais do Interior